Sunday, March 23, 2008

Baked potato

.
Depois de rodar e de ficar fora do GP da Malásia, Felipe Massa disse que teve uma "sensação estranha" ao sair da curva, na qual acabou rodando e indo parar na caixa de brita.

Talvez a sensação estranha seja a do carro saindo de traseira. Alguém precisa avisar a ele que essa "sensação estranha" se cura com uma coisinha simples: é preciso corrigir a trajetória. Era aquilo que o controle de tração fazia antes.

Ou talvez a sensação estranha seja a da batata assando.

Minha análise sobre a corrida e seus desdobramentos vai ao ar na quarta-feira, no GPTotal. Quem passar por lá pode conferir a coluna pós-GP do colunista Eduardo Correa.

6 comments:

Herik said...

Sobre Felipe Massa tenho pouco a acrescentar. O que venho dizendo há algum tempo se confirma. O brasileiro é apenas um bom piloto que excepcionalmente faz corridas ótimas. Estas são exceções à regra.

Gostei muito da transmissão da BandNews. Não é atoa que ouço as corridas desde o início do ano passado. Apenas estranhei o narrador chutando o balde em relação ao Massa. Lembro que no ano passado, na primeira metade do campeonato, ele elogiava Massa e descascava o Raikkonen. Mas as coisas mudaram.

O mais legal mesmo foi o "down, down, down... no high society". Antes de você falar baixinho no microfone me lembrei da Elis e de você.

Um abraço.

Ron Groo said...

É, Maffa (com dois f mesmo, pra lembrar que ele tem a lingua pgresa) está dando munição aos seus detratores. As vezes tenho a sensação (estranha?) de que ele ao invés de ser piloto de F1 deveria ser maquinista de trêm. Aí seria apenas ir só pra frente sem se preocupar em corrigir trajetória...
Gostei muito da transmissão.Odnei, você e os outros são 10, e não ficaram tentando achar desculpas para o Maffinha.(sim ouvi os dois, radio e TV, só assim pra ficar acordado...)

Anonymous said...

O Massa está mesmo enrascado ,nenhum ponto e muita pressão nas proximas provas ,vai ter que mostrar do que é capaz.

E este inicio de campeonato está acima de minhas espectativas ,não esperava uma BMW tão forte ,deram realmente um passo a frente ,outra equipe que está surpreendendo é a Toyota ,neste segundo grupo (Toyota,Williams,Red Bull e Renault)ainda acredito em muitas surpresas durante este ano ,está todo mundo muito proximo ,tudo vai depender da evolução de cada um .

Jonny'O

Alessandra Alves said...

herik: putz, que legal você ter reparado na citação da elis. nada a ver com fórmula 1, né? mas não vou me reprimir em relação a essas situações. aliás, acho que meu papel na transmissão também é esse.

sobre massa, vou falar mais na coluna de amanhã, no gptotal.

ron: obrigada pela audiência e pelos elogios. vou retransmitir aos outros colegas.

jonny´o: também estou agradavelmente surpresa com o desempenho do bloco intermediário, que está se mostrando muito equilibrado. eu cravei em trulli no pódio, e não é que quase deu?

Celinho Boy said...

Também achei engraçada aquela "sensação estranha". Desta vez eu não vi ele criando desculpa como os pilotos tem feito ultimamente tipo problema no motor, o parafuso saiu fora.
Nas transmissões, achei hilário a proposta da FIA em se pontuar apenas o vencedor. Também tem aquela de se pontuar o que tem a volta mais rápida. Com tantas mudanças anteriores a esta, a F1 conseguiu ficar chata.
E a imprensa espanhola, vai falar do "excelente" nono lugar o Alonso? Ou vai dar 3 páginas dedicadas ao Raikkonen?
Bom saber que vais ficar o ano inteiro. E eu só consegui te ouvir pois estava trabalhando sim, mas saio a noite até quarta-feira e porque o sinal da Band POA pega bem a noite.
Abraços

Hugo said...

Olá Alessandra!

Sua coluna no Gptotal é simplesmente perfeita!!Disse tudo!

Torço mto para a BMW vencer ainda esse ano!!

Infelizmente a imagem do Senna tornou-se uma espécie de fantasma para os novos pilotos. Tudo que fazem é inspirado no tricampeão. Por diversos motivos não conseguem atingir o nível de performance do Ayrton e assim tornam-se frustrados, derrotados. Já basta a carreira "gauche" ( com você já bem disse) do Barrichello, agora o Massa segue o mesmo caminho.

Se minha motivação a acompanhar a F1 fosse os pilotos brasileiros, tinha abandonado tudo em 1994.

Parabéns!!Considero suas análises as mais elaboradas e bem escritas!