Monday, July 13, 2009

Mulher de malandro



Sabe aquela amiga que vem até você, queixa-se do namorado ou do marido, relata as agruras que passa a seu lado, pede conselhos, diz que não aguenta mais sofrer e, por isso, vai dar um basta?

Depois, você a encontra de braços dados com o sujeito, no maior enlevo, e fica com aquela cara de besta, com a certeza de que só perdeu seu tempo ao dar tanta atenção a ela...

A postura de Rubens Barrichello na Fórmula 1 muitas vezes me lembra essa figura clássica da mulher de malandro. Ontem, depois do GP da Alemanha, saiu do carro se dizendo "roubado" pela equipe. Disparou contra o patrão, dizendo que a Brawn deu um show de como perder corrida. Esfriou a cabeça (ou esfriaram-na) e depois contemporizou, dizendo que não era bem assim.

Parece ter sido lembrado, pelo patrão, que a Brawn estava vendida diante da Red Bull. Mark Webber, afinal, venceu com facilidade mesmo depois de levar uma punição. E a Red Bull conquistou uma dobradinha incontestável. À Brawn caberia, com certo esforço, somar pontos.

A Brawn errou no segundo pit stop de Barrichello, atrapalhando-se no reabastecimento do carro. Um erro estranho, mas, até prova em contrário, um erro. A Brawn colocou pneus duros no carro de Barrichello no terceiro e último pit stop, uma decisão questionável mas, aparentemente, compartilhada com o próprio piloto. A Brawn trabalhou para inverter as posições entre Jenson Button e Barrichello nesta última parada, em uma tentativa evidente de fazer o líder do campeonato somar um ponto a mais que o companheiro de equipe. Bem, os dois últimos campeonatos foram decididos por um ponto de diferença, e Ross Brawn deve se lembrar disso.

Barrichello, por sua vez, não conseguiu abrir vantagem sobre Webber no começo da corrida. Não conseguiu ultrapassar Massa depois do primeiro pit stop. Não conseguiu locupletar-se da vantagem de ter menos combustível que a concorrência durante toda a prova, em função da estratégia de três pit stops. No cara-a-cara com Ross Brawn, Barrichello deve ter recebido de volta um "errei, erramos" e, no melhor estilo samba canção dor-de-cotovelo, percebeu que falou demais após a corrida.

Em sua 17ª temporada de Fórmula 1, com 37 anos de idade, Barrichello segue como tema principal de piadas e chacotas. Ontem, durante a transmissão na Bandeirantes - BandNews FM, comentei que Webber tirava de Barrichello o incômodo título de piloto que mais disputou GPs até conquistar a primeira vitória. Assim que saí do estúdio, um graduado colega da rádio comentou: "Então, quer dizer que agora o Rubinho é o SEGUNDO piloto também nesse quesito?".

10 comments:

Edu said...

E no sábado ele disse: É hora de parar de falar e partir para a ação, não adianta ficar chorando, tem que fazer.

Confesso, fiquei com dó, parece que as decisões dele têm o tempo que tem a memória da (ótima) Dory do Procurando Nemo.

Foi ELE, ele quem disse.

Jonny'O said...

O Jordan já falava que o Rubinho era como um garoto mimado ,precisa ser paparicado ,e quando não é o centro das atenções se perde ,fala essas besteiras que seriam muito graves se saísse da boca de alguém com credibilidade.

Ron Groo said...

Bom, que a equipe errou vá lá, mas quem em sã consciencia diria que foi de propósito? Apenas para sacanear o pobre 1B?
Ele tem a clebre mania de se achar vira latas, como dizia Nelson Rodrigues acerca do torcedor brasileiro antes do primeiro título mundial de futebol.

Agora me perdoa o gracejo, mas quando li as primeiras linha do seu post eu não resisti:

1B desce do carro esbravejando, dizendo gatos e cachorros da equipe.
Ai Ross vai lá e também solta o verbo.
Rubens se acalma e vem cantando baixinho "Com açucar,com afeto" do Chico:
Como vou me aborrecer? Qual o quê!
Logo vou esquentar seu prato, dou um beijo em seu retrato
E abro os meus braços pra você.

Giz said...

Engraçado, essa piadinha de que agora o Rubens é também o segundo piloto dentre aqueles que mais demoraram para vencer na F1 foi a piadinha que mais ouvi de ontem pra hoje.

Rubens tem o mesmo problema que eu, fala antes de esfriar a cabeça e fala sem pensar, depois se arrepende e tenta remendar a situação o que só piora as coisas pra ele.

LeandroSpectreman said...

Já pegou mal; Barrichello parece aquele adolescente que não consegue se livrar de seus próprios "limites mentais". Já passou da hora de agir como adulto em momentos como esse. Teria sido melhor ficar quieto diante de microfones e soltado os cachorros no cara-de-pau do Ross Brawn no Motorhome!
Mas também não sou favorável à censura escrota proposta por Frank Williams!

Marcelonso said...

Alessandra,


Rubinho continua com sua infantilidade,e olha que já são 17 temporadas.

O carro não esteve rápido o suficiente,Barrichello não conseguiu ser eficiente,e a equipe foi deficiente,simples assim.


abraço e parabéns pela transmissão da Band,vcs são divertidos!

Jair Xavier said...

boa noite,alessandra..O rubinho me lembra o personagem "santelmo" do grande Chico Anysio..a mulher traía ele,mas ..tendo explicação,ele aceitava..rrsrsrsr
um bom piloto,mas péssimo nas relações publicas,este é Rubens Barrichello.

AndersonTS said...

O Rubinho deveria agradecer e muito o fato do Ross Brawn ter relevado as bobagens ditas de cabeça quente. Se fosse outro, seria demitido e passaria por uma situação desnecessária no fim de sua carreira na F1, até por que com esse comportamento, está fechando as portas de outras equipes.

Will said...

Alessandra, eu sou torcedor do Rubinho.
Mas essa foi uma das melhores definições sobre ele que eu já vi!
Abs

luizano said...

Como disse ontem, tava ansioso pelo post sobre a corrida de ontem, e mais uma vez fico feliz em ler esses blog.
Agora, cada vez mais, me convenço que o Rubinho já passou da hora de se aposentar, é até bom piloto mas não tem espírito, nem postura de campeão não.
abraço