Tuesday, July 07, 2009

Berne


Dermatobia hominis é uma mosca que, enquanto ainda se apresenta como larva, é conhecida como berne. O berne é um pequeno parasita, porém um grande problema. Uma vez presente em animais, especialmente bovinos, forma nódulos no hospedeiro, com a presença de uma ou mais larvas no interior.

É nojento esse Berne.

E uma das coisas mais sui generis que já vi é o tratamento para extrair essas larvas. Faz-se um curativo com gase e um pedaço de bacon (!). Esta estranha combinação reduz o ar e o bicho acaba botando a cabeça pra fora para respirar. Daí, é só puxar o parasita para fora.

Berne é nojento, nojento, nojento.

Berne é parasita, suga o sangue da vítima até deixá-la doente, fraca, às portas da morte. O que não deixa de ser uma enorme burrice. Berne parece não saber que, se matar a vítima, mata a si mesmo, por estar hospedado nela, por se parasitar nela.

Berne, esse nanico, é capaz de dizimar um rebanho inteiro, quem sabe de 20 bois, cavalos, carros (?).

Esta espécie possui um aspecto curioso no hábito de oviposição, pois precisa de um outro inseto, geralmente outra mosca, como vetor de seus ovos, para levar o berne até o hospedeiro e iniciar assim, seu ciclo biológico. Talvez essa outra mosca se chame, sei lá, Moslei?

Berne, o diminuto, não admite que o ignorem. Se algo chama mais atenção que ele mesmo - um acidente aéreo, um golpe de estado, a morte de um ídolo - sai apreogoando asneiras, louvando lunáticos, negando a história. Quer chamar a atenção, consegue, depois nega, diz que foi mal compreendido.

Berne talvez tenha se deixado atrair demais pelo bacon ($?), botou a cabeça para fora e sente que o puxam para longe das entranhas de seu hospedeiro.

Berne, o parasita, é nojento.

15 comments:

Alessandra Alves said...

as informações sobre berne, neste post, foram obtidas no site da embrapa, a partir de um texto produzido pelo veterinário alberto gomes.

Ron Groo said...

Perfeito!

O berne é realmente nojento, mas chego a ficar com pena do parasita quando você traça um paralelo com o mané que elogiou aquele cara que foi parodiado de maneira mavavilhosa por Charles Chaplin em o Grande ditador...

Anonymous said...

Credo,que nojo!

J'O

Diário de Blog - Linux Adventures said...

Olá Alessandra, tudo bem?
Como tomou conhecimento deste verme?
A propósito, foi o melhor texto de repúdio às declarações do cartola que eu vi.
Simplesmente, animal!

Um grande abraço do fundo meu coração vermelho de outubro de 1917,
Atenágoras Souza Silva.

Edu said...

Fantástico! Lindo texto. A resposta pode não estar na psicologia, mas na biologia! Um estudo detalhado do DNA do bicho pode nos revelar que compartilhamos, sei lá... 95% dos genes. E alguns humanos podem chegar a 99% pelo visto. O 1% pode ficar por conta da fala e capacidade de planejamento...

Parabéns pela inspiração.

Giz said...

Genial sacada, genial comparação. Berne está sugando a F1 até sua última gota de sangue e as moscas a sua volta (Moslei e FOTA) também, cada uma a seu modo, trabalham para o mesmo fim.

Alessandra Alves said...

ron: tmabém fiquei com pena do bichinho...

j'o: se você, que vive no mato, ficou com nojo, imagine os bichos urbanos como eu!

atenágoras: como conheci o verme? acredite se quiser - meu pai teve berne uma vez e precisou lançar mão do tratamento esdrúxulo com bacon! e viva a revolução!

edu: fico feliz que tenha gostado e agradeço o comentário "puxão de orelhas"...

giz: pois é. os parasitas talvez não perceberam ainda que estão se matando.

Anonymous said...

Alessandra excelente sacada quantos aos bernes que bichos nojentos, alem de causarem dor aos animais ainda desvalorizam o couro.
2 chupadores de sangue!!!eh!!eh!!

Ricardo said...

Não me entenda mal, seu texto é muito inteligente e mostra claramente o que é o Berne. Mas a Fórmula 1 atual não é um doente que precisa usar um artifício para tirar um Berne. Pois foi o Bernie que salvou a temporada de 2010 da categoria ao se envolver para acabar com a ameaça de divisão.

O doente que foi atacado pelo Berne foi a Fórmula 1 de outras décadas onde a categoria não era tão dominada por interesses econômicos.

luizano said...

Putz!!!!

Thiago Pimenta said...

Alessandra, já tinha visitado seu blog antes, mas não tinha feito comentários. O texto é simplesmente sensacional, começa quase que uma aula de biologia e termina com um retrato perfeito da figurinha que sempre se aproveitou da falta de união das equipes e da proximidade com a presidência da FIA para engordar sua conta bancária. Concordo, em parte, com o Ricardo: ele (o Berne) está se empenhando muito para que não haja a divisão da categoria, mas tenho certeza que não é pelo "amor ao esporte", muito menos pelo bem da categoria.

LeandroSpectreman said...

Legal, eu já tinha feito, desde o começo do ano, essa associação entre a pronúncia de Bernie e a larvinha asquerosa! Fico feliz que o mesmo "estalo" lhe chegou a mente.

luizano said...

Sinceramente, tô louco na espera do comentário da corrida de ontem!!!!!!

Anonymous said...

Alessandra,
A-do-rei, tenho pavor de larvas, lagartas, me esforcei para aguentar essa imagem, mas valeu a pena, ri muito, beijos, Katia, Japan.

Luís F. said...

Caso uma abelha tenha te picado joguei alcool no local e procure um medico.