Monday, October 08, 2007

Milagre



Depois do GP do Japão, Fernando Alonso disse que só um milagre o levaria ao título da temporada. Pois ele veio, na China. Pouco depois de Hamilton cometer seu primeiro e talvez fatal erro no ano, eu estava mais interessada em outra corrida, o Circuito das Estações, realizado a cada três meses no Estádio do Pacaembu.

A corrida da Primavera foi muito bem organizada, e igualmente sofrida. Sol forte desde cedo, o inclemente asfalto do Minhocão e o falso-plano da avenida Pacaembu, a nos conduzir de volta ao estádio. Correr esta prova é reviver, em parte, a São Silvestre, pelo trecho sobre o elevado. A diferença é que, agora, já não sinto aquele abandono de solidão que me invadiu naquele trecho. No lugar das nuvens negras de dezembro, o sol soberano de uma manhã de outubro.

Cumpri os 10 km em 50 minutos cravados, mais do que eu gostaria (o objetivo era fazer abaixo de 50), mas com alto grau de satisfação após a prova, justamente pela dificuldade imposta pelo clima quente e seco.

A equipe Conexão, capitaneada pelo técnico Zé Eduardo Pompeu, compareceu em massa. Congraçamento antes e depois da prova, e um bônus considerável: a programação musical da corrida está cada vez melhor. Largamos ao som de U2, "Where the streets have no name". Cheguei embalada em "Start me up", dos Rolling Stones. Uma apoteose, em resumo.

A agitação toda acontece dentro do estádio, em volta do gramado. O são-paulino Zé, dado momento, fez um gracejo com as cores recém-pintadas da arquibancada. "Caraca, véio, o Corinthians mandou pintar a arquibancada de roxo?", para depois prognosticar - "Acho que hoje o São Paulo perde...". Duvidei. Só por milagre.

Enquanto toda a blogosfera automobilística dava tratos à bola e produzia pérolas saborosas sobre o GP da China, como no aqui, aqui e aqui, eu descansava os músculos sacrificados na piscina do clube. Confesso, pensava mais em Hamilton que em Betão. Assisti ao primeiro tempo do jogo no restaurante, sem muita atenção, sem nenhum entusiasmo.

Cheguei em casa e ouvi gritos. "Pronto, gol do São Paulo". Só por curiosidade, liguei a TV e vi a cena mais corintiana dos últimos tempos. Um zagueiro, tido como grosso, comemorando um gol aos 41 do segundo tempo. Um zagueiro meio tosco, capitão do time, caindo no choro diante do tabu derrubado.

Para efeito de classificação, o milagre corintiano foi menos eficaz que o milagre de Alonso. O espanhol, pelo menos, subiu na tabela.

Mas foi bom, ô se foi...

16 comments:

Alessandra Alves said...

saí do tema F1, pero no mucho, porque uma vitória do Corinthians sobre o São Paulo merece atenção especial.

mas não deixem de ler o update do dedicado rafael duarte, nosso correspondente na espanha, nos comentários do post abaixo (espanha, urgente!)

Gustavo Alves said...

Brou,

O gol foi tão festejado. Você precisava ver a minha pequeninha gritando GOOOL! e pulando.

rafael duarte said...

Mais uma prova de que "milagros" acontecem ne?
Mas sabe o que eu queria de verdade? Que o Alonso e o Hamilton abandonassem, de preferencia numa disputa de posicao, e que o Kimi levasse o caneco esse ano...

Ia ser hilario, e o finlandes ja esta merecendo um titulo ha algum tempo...

É pedir demais?

Abraco!

Alessandra Alves said...

gustavo: só acredito vendo...

rafael: seria o final mais digno. e, quer saber?, tenho a impressão de que isso faria alonso quase tão feliz quanto o tri. isso é só impressão, mas há uma certeza: se hamilton depender de uma mísera ajuda de nando, pobre inglês... ron dennis pode urrar no rádio de alonso...

Valéria said...

Foi deliciosa essa vitória do Corinthians. Adorei.
E hj leio no G1 que o Betão tá feliz por poder ir à padaria sem que todos encarnem nele. Mais corintiano impossível,rs.

Anonymous said...

Vamos acender mais velinhas!

Jonny'O

Marcus said...

Eu gargalhei na hora em que Hamilton atolou na brita como se ainda estivesse na auto-escola.

Me lembrou o Mansell. Aliás, da última vez que houve uma decisão tripla, também tinha um inglês trapalhão em primeiro e ele perdeu o título.

Ico (Luis Fernando Ramos) said...

Depois já ter salvo o Corinthians do rebaixamento no Campeonato Paulista, há poucos anos atrás, eis que o filantrópico SPFC volta à ativa e coloca em prático o plano para salvá-lo neste Brasileirao.

É tudo um plano meticuloso para que os corintianos acabem virando sao paulinos...

:-p

Diego said...

Só foi o Vampeta entrar em campo, mesmo jogando em câmera lenta, que o São Paulo não jogou mais. Souza, Rogério Cena e companhia pipocaram de novo para o velho Vamp.

Alessandra Alves said...

valéria: pensou, coitado, como tem aturado gozação?! se já pegam no pé da gente, pobres torcedores...

jonny´o: fé, irmão!

marcus: o mais incrível, para mim, foi o cara atolar na brita. xangai deve ter uns 15 mil quilômetros quadrados de área de escape, tudo livre e desimpedido, e o cara foi atolar em um caixote de brita!

ico: chora, chora... o futuro dirá, quem sabe um dia até viro casaca, mas é mais fácil eu virar um homem de barba do que me tornar são-paulina ou palmeirense.

diego: é triste mas é verdade. vamp é nosso rei!

Ron Groo said...

Parabéns pela colocação e pela escolha das músicas...
Mas Alessandra...o Betão é grosso mesmo... O Salto alto que o SPFC usou no jogo merecia um 'serrote' destes. Betão fazendo gol e acabando com o tabu. Bem feito pra eles e muito cuidado para o timão. Vem aí uma diretoria ainda ligada com a velha guarda. Ou Andres Sanchez não fazia parte da corriola do velhinho? É só lembrar um pourquinho... Vivia indo a programas de TV defender a diretoria e a parceria... Agora volta dizendo ser oposição? Isto pode perpetuar grossos como Betão no time. Que de vez em quando dão algrias mas no mais das vezes...
Desculpe a ausêcia (se é que foi sentida) eu ando esgotado....

Mauro Chazanas said...

Alessandra, oi. Ahn, lembra de mim? Aquele de outrora? Não esse, o outro. Isso, aquele que cantava. Pois então, antes de dar tempo de voce dizer: "Ponha-se pra fora daqui, Seu cometa Halley à toa", vou tentar, pra contornar a situação, "A Volta do Boêmio", de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, sucesso na voz de Nelson Gonçalves, em segunda edição revista e reduzida de Mauro Chazanas, na voz do próprio, ainda sem sucesso. Apagam-se as luzes da internet e lá vai:
"Blogosfera,
aqui me tens de regresso
e suplicante vos peço
a minha nova inscrição
voltei pra rever a Alessandrinha
que deixei com o Tevez e o Kia
com o Dualib na situação
Acontece que a constante
inconstância da vida
me colocou numa trilha perdida
olhos vendados e na contra-mão
E agora, por enquanto
positivo e operante
Resoluto pra daqui por diante
agir como no domingo o Betão
Ele voltou! O santista voltou novamente
E conta com o benevolente
Coração da dona do bar"

Alessandra, que achastes? Se era pra isso, era melhor ter continuado no exílio? Inté, boa semana pra todas e todos.

Alessandra Alves said...

ron: pois é, nenhuma esperança no fim do túnel. mas aguarde o próximo sábado, quando falarei mais longamente sobre este assunto.

MAURO CHAZANAS!!!! há alguns meses, eu até procurei a joana rizério para ter notícias suas e ela também se mostrou preocupada com sua ausência. seja muito bem vindo de volta, santista! adorei a versão "A volta do blogueiro". mas, me diga, essa volta é na base do roberto carlos: eu voltei, voltei para ficar?

Mauro Chazanas said...

Ufa, Alessandra, que alívio! Voce ainda lembra de mim! E pelo que entendi nem vai ter multa por ausência não explicada.
A bem da verdade alguns dias atrás eu ia reaparecer, mas na hora H deixava pra depois. Além do que, de Fórmula 1 só sei e mal os nomes de alguns corredores e que é rede de hotéis também.
Mas depois do gol do Betão e do título da tua mensagem pensei, que nem o Elvis: It's now or never!
Grande Betão. Sei como é. Nós temos três lá também que só cantando igual à Maysa: "Ouçam, vão viver as suas vidas com outro alguém, pois, aqui no time, lugar proceis não tem..."
Ah, sobre a volta, lembra de "A Cor do Dinheiro", sinuca, continuação/citação/homenagem do Martin Scorsese prum filmaço do Hossein também de sinuca com Rod Steiger e o mesmo Paul Newman, que esqueci o nome? A cena final, quando a personagem do Paul dá uma tacada e fala: I'm back! sou eu escritinho. Ahn, o Paul é mais bonito. Mas não é tanto assim. Aliás, acho que eu que sou mais bonito, pronto. E com uma vantagem sobre ele: eu já vi diversos filmes dele e ele não viu nenhum meu. E o fato de eu também não ter visto não quer dizer absolutamente nada, como aliás as oito linhas anteriores.
Au revoir, gentil Alessandra, boa tarde ensolarada e azul (cores do Boca) pra ti e tua distinta audiência. E em homenagem à sempre presente Lady Rizério:"Suíte dos Pescadores", com o Caymmi, o Vinícius e o Quarteto em Cy. Hasta.

Degas said...

Deixa eu falar uma coisa que, não sei porque, a ninguém ocorreu até agora.

Sabem quem eu acho que vai ganhar esse campeonato?

Kimi Haikkonen.

Porque?

Porque Alonso vai perder os últimos resquícios de tolerância e vai jogar seu carro em cima do de Hamilton no final da reta oposta. Os dois vão se estabacar no muro e a corrida vai ficar no colo de Kimi.

Será?

Alessandra Alves said...

mauro: de fato, tenho falado muito de fórmula 1, porque as coisas estão quentes por lá. assim que terminar a temporada, vou conseguir dedicar um pouco mais de tempo para os outros temas. bom, de verdade, ter você de volta! no próximo sábado, vamos ter aqui um texto sobre futebol bastante revelador. vem ver?

magnífica a "suítes dos pescadores", e essa gravação é definitiva. aliás, grandes discos aqueles do selo talento, não?

degas: ó, espera até amanhã que você vai ver o que eu escrevi para o gptotal, tá?