Monday, November 03, 2008

Som e fúria

Do nada, emerge Timo Glock, para definir o Mundial de Fórmula 1 de 2008. Um coadjuvante transformado em personagem principal. Lewis Hamilton e Felipe Massa: nas mãos do alemão. Mais? No GPTotal. Vai lá, depois comente tudo o que quiser sobre a corrida de ontem. Desde já, candidatíssima ao título de GP do Brasil inesquecível.

12 comments:

antoniojndias said...

excelente coluna mas não é temerário ou inadequado por alguma responsabilidade em Glock. É uma bestira total!!!! Caso ele tivesse parado para trocar pneus estaria longe do Hamilton nas últimas voltas. O cara arriscou uma estratégia que poderia lhe dar alguns pontinhos...está errado?
ou esta errado por não se manter concentrado em levar seu carro a linha de chegada sob condições totalmente adversas sem se ligar na disputa massaxhamilton? acho que vc escreveu mais comop torcedora do que como jornalista.

antoniojndias said...

excelente coluna mas não é temerário ou inadequado por alguma responsabilidade em Glock. É uma bestira total!!!! Caso ele tivesse parado para trocar pneus estaria longe do Hamilton nas últimas voltas. O cara arriscou uma estratégia que poderia lhe dar alguns pontinhos...está errado?
ou esta errado por não se manter concentrado em levar seu carro a linha de chegada sob condições totalmente adversas sem se ligar na disputa massaxhamilton? acho que vc escreveu mais comop torcedora do que como jornalista.

Anonymous said...

É Antônio, concordo contigo, o arriscar do Glock foi a chance do Felipe, mas sinceramente, falando como torcedor, como o título ficou com o Hamilton eu preferia que não tivesse caído a chuva no final, o LH chegando em quarto e sendo campeão, seria menos mal para o coração.

Fábio said...

Massa " campeão moral "

r/t said...

Aquele post sobre a fafá tinha razão, hein ?

Nelson jr não durou nem uma volta (ela disse que estava torcendo por ele) aconteceu isso ai com o Massa

para tudo, nunca mais a convidem para nada

Toni said...

Alessandra,

Que um Timo Glock da vida resolva virar retardatário na última curva e estender o tapete vermelho pro Hamilton passar sempre será discutível, porém esse não é o ponto.

A questão é todos virem com estatísticas sobre o novo fenômeno da Fórmula 1, sobre o mais novo campeão, etc. etc.

Hamilton ontem mostrou que se dependesse apenas dele não teria braço pra ser campeão.

Levou a ultrapassagem do Vettel e não conseguiu dar o troco, uma ultrapassagem que valia ali o título e aquele piloto que agora é tido por alguns como gênio, só foi campeão por quê o Glock sabe-se lá por quê amarelou a ponto de interferir no resultado da prova.

Havia um tremendo desconforto em inúmeras declarações sobre um suposto título de Massa, caso alguém colocasse o Hamilton pra fora.

Agora, Hamilton ganhar do jeito que ganhou, tendo perdido o título na pista naquela ultrapassagem que levou do Vettel, isso não é atitude de fenômeno, de gênio.

Pra mim Hamilton ESTÁ campeão, mas campeão não É de fato.

Já que você citou Shakespeare:

"To be or not to be? Tha is the question."

Hamilton pra mim apenas está campeão.

Toni

Toni said...

Apenas corrigindo ...

A frase correta é:

"To be or not to be? That is the question."

Toni

Ron Groo said...

Vou falar mais com a emoção que com a razão.
Foi justo.
Doloroso.
Mas justo.
Não penso que Glock tenha entregado a posição.
Até eu que não dirijo nem carrinho de supermercado porque minha mulher acha que vou matar alguém nos corredores sei que não era possivel tracionar de forma correta na subida do café molhada e ainda por cima segurar um carro muito, muito, muito superior com um piloto também superior - ao menos naquele momento.
Eu entendo como você se sentiu e sob que sentimentos escreveu sua coluna. Não ouso discordar.
Também acabei mandando um texto em primeira pessoa e não me arrependo. Vi a história sendo escrita - aindaque pela tv - e um dia quando se falar desta corrida eu direi: Eu vi.
Bem... apostei no Massa. Tô fora do sorteio né? Que pena. Vou ter de comprar o livro e pedir para você autografar numa outra ocasião.
Parabéns pela transmissão na Rádio Bandeirantes. De novo.

Celinho Boy said...

Alessandra, assisti a um vídeo com aeletrizante chegada de Massa e a ultrapassagem do Hamilton a 500 m do fim. O meu temor agora é que comecem aquelas bestas teorias conspiratórias que sempre surgem quando o Brasil perde algo. Foi assim em 98 e 2006, quando espalaharam teorias de que o Brasil entregou o jogo pra França por causa do apoio a uma copa no Brasil. Ou como ocorreu ano passado quando o Timão caiu pra série B. Muita gente, sobretudo alguns caras que pensam que são jornalistas e até dirigentes(até a viúva do Vicente Matheus), insinuaram que o Inter entregou o jogo só apara ver o Corinthians rebaixado depois daquele pandemônio de 2005. E até mesmo agora neste Brasileirão, cada "tioria"!!! Massa perdeu o título pelos erros dele e também da Ferrari. Mas não pode se negar que o Hamilton foi mais regular. Logo, ele mereceu por este ponto.Falando nisso, será que aqui ouve uma conotação racista explicíta(implícita são outros 500!!!), vc notou???
Pena que não assisti ao vivo. Gostaria de ter sentido esta emoção ao vivo e a cores.
Aliás, vc já foi bonita.
Agora está mais bonita, a começar pelo cabelo. Gostei das fotos dos bastidores. Virá mais.
Beijos e abraços

valéria mello said...

A razão fala em erros e acertos, estratégias, estrutura, talento. A emoção fala em Vettel, chuva, Glock. A mistura dos dois fez uma bela e inesquecível decisão de campeonato.

Anonymous said...

Gostei da coluna Alessandra , culpar somente o Glock é forçar a barra mesmo .

O titulo foi perdido nos erros e falhas da equipe e do carro Ferrari , se bem que este ano o carro foi melhor que ano passado , olha como são as coisas .

Ano passado acho que a Mclaren era melhor ,perdeu porque tinha dois pilotos competitivos e dividiram os pontos ,este ano foi quase a mesma historia ,invertida,chega até parecer um conto infantil.

Como terminou o mundial não resisti e voltei no tempo ,no post “Amarelo piscando” do mês de março e quase ninguém acreditava que Massa brigaria pelo titulo.Hehe....

Jonny'O

Lucas said...

texto fantástico!

belo esteticamente, gostoso de se ler, e diria até que poético! profundamente poético!