Friday, September 26, 2008

Cidade-estado


Malásia, Turquia, China, Bahrein. Depois de fincar sua bandeira, nos últimos anos, em países que nunca tinha recebido provas de Fórmula 1, a categoria chegou neste final de semana a Cingapura. De todos, foi o que me despertou maior curiosidade.

Ler sobre Cingapura me fez voltar aos tempos de colégio, quando o termo cidade-estado era mencionado no capítulo da Grécia Antiga. Mas, hoje, a denominação de Cingapura como cidade-estado está relacionada ao fato de que ela, a cidade, é ao mesmo tempo todo o país. Um país minúsculo encravado na Malásia, com alto nível de desenvolvimento econômico.

Para não ficar só na base do Google, fui buscar informações junto a quem conheceu o país recentemente. Meu amigo Geraldo Caldeira, médico especialista em Reprodução Humana, esteve no país para o Congresso Mundial de Ginecologia e Obstetrícia do ano passado. Na época, contou-me sobre a viagem e resolvi retomar suas impressões sobre o lugar.

Impressionado é pouco para descrever dr. Geraldo quando voltou da viagem. Começou pelo aeroporto, um dos maiores do mundo. Achou que o número do portão estava errado na passagem - A80. "Não é possível, deve ser 8, ou 18". Era 80 mesmo. Imagina a singeleza do lugar.

Ao sair pelas ruas, novo espanto. Cingapura foi colônia inglesa até a metade do século passado, por isso conserva a mão de direção trocada nas ruas e nos volantes dos veículos. Outro dado impressionante para o médico foi a limpeza do país. Lá, a lei impõe multas pesadíssimas a quem jogar sujeira na rua. O mesmo vale para qualquer tipo de vandalismo.

Ele comentou uma história muito popular no país sobre o tema. Um norte-americano foi pego pixando um muro e recebeu como pena levar vinte chibatadas em praça pública. O presidente dos EUA à época, Bill Clinton, interveio em favor do compatriota, alegando que esse tipo de gesto era comum no Ocidente, visto como liberdade de expressão. As autoridades do país torceram o nariz mas atenderam o ex-presidente. Diminuíram a pena do cabra para apenas dez chibatas. E deportaram-no na seqüência!

Meu querido Luis Fernando Ramos, o Ico, que está em Cingapura, cobrindo in loco pelo sistema Band de rádio e pelo jornal Lance! que se cuide...

5 comments:

JBP said...

Alessandra, engraçada a tua maneira de escrever "Cingapura", e não Singapura!

Celinho Boy said...

Olá Alessandra. Depois dum bom tempo, volto a comentar em teu blog. Dei uma lida nuns posts teus, embora não tenha comentado.
Essa da palavra Cingapura com c ou s trás uma confusão muito grande. eu tava lendo que cingapura é em português do Brasil, enquanto que o português europeu usa com "s". mas em outras línguas se escreve com "s". não sei dizer porque escrevemos com "c".
Sobre a corrida, espero uma corrida bem disputada. E mesmo que um ganhe do outro não será numa vantagem significativa. O campeonato não se decidirá em Cingapura(ou singapura), mas começar a ser decidido aí. Mais um lugar exótico em que o circo da F1 pousa. Reflexo da falta de dinheiro, em especial da indústria tabagista.
Vc falou das chibatas, e não é que me veio a cabeça o episódio do Max Mosley. Chibatadas talvez não fosse o problema para ele. Será que vai a Cingapura?
Sobre a corrida tbm, mas no que tange a rádio Band, vou te escutar(estarás trabalhando?), já que acabo de colocar internet em casa. Beijos e abraços e até a próxima

Ron Groo said...

O País, ou Cidade-estado é realmente um exemplo de civilidade, enquanto aqui no Brasil eu cansei de gritar nas ruas, de fato, com tipos que abrem a janela do ônibus para jogar lixo nas ruas e outras barbaridades, já se paga multa por conta disto.
Só uma coisa: Ico pixa? Porque o nosso bravo reporter da Band tem que se cuidar? Sou ´fã do trabalho dele.

Degas said...

Cingapura (Singapoore) tem ainda, entre outras coisas, o menor índice de mortalidade infantil do mundo.
Eles foram colônia, como nós. Mas nunca foram vira-lata.

Alessandra Alves said...

jbp: coisas do português brasileiro, meu caro. não sei por que, aqui se escreve com "c".

celinho: falei de chibatas e você lembrou do mosley! hahaha mente rápida!

ron: não, o ico não pixa nada, é um doce de menino, que mora na europa há muitos anos. não é educado só por morar na europa, é de formação familiar mesmo. só falei para ele se cuidar pela rigidez do lugar. pensou? qualquer escorregão lá pode custar caro!

degas: mas conseguiram isso, pelo que consta, graças a uma ditadura inflexível, cheia de desrespeito às liberdades...