Tuesday, February 13, 2007

Treze anos




O que me assombra não são os 37. Choca saber que em apenas 13 anos serão 50. Porque os últimos treze anos passaram assim, voando, o que me leva facilmente a concluir que os próximos serão ainda mais lépidos.



O tempo não parece passar mais rápido, passa mesmo. Pura questão de proporcionalidade. Quando se tem dez anos, um ano é um décimo de sua vida. A relação vai sempre diminuindo, e aos 50 esse consagrado período de doze meses é um cinquenta-avo da sua existência. Tão pouco...

O tempo talvez deixe de ser importante com o tempo. Nesses dias, tenho refletido sobre uma singela entrevista, que li na Contigo, de Dona Canô, mãe de Caetano e Bethânia. Se tudo continuar como está (toc-toc-toc), Dona Canô completa cem anos em setembro próximo. Disse que não fez planos ainda para a festa porque não pode planejar o que nem sabe se vai acontecer. E revelou que, nesses mais de quarenta anos desde a vinda para o sul, não passou um dia sequer sem que Bethânia lhe telefonasse duas vezes. Pode estar no Rio ou em qualquer cidade do mundo. Duas vezes por dia, liga para a mãe.

Eu aqui, achando que falta pouco tempo para os meus 50 anos, e Dona Canô nem tchuns para o próprio centenário. "Tempo, tempo, tempo, tempo/Entro num acordo contigo".(*)

Obrigada a todos que ligaram, mandaram e-mails, recados pelo Orkut!

(*) "Oração ao tempo", Caetano Veloso

32 comments:

Andréa N. said...

Parabens!! E eu teimo em dizer que o tempo aqui em NY eh mais rapido ainda, eh frenetico, eh um trem-bala. Ninguem acredita em mim, mas eh verdade. O que podemos fazer? Soh de pensar da uma preguica...
Um beijo e um abraco bem apertado, mesmo que virtual.

Zeca said...

Parabéns! Alegria, sucesso e tudo mais de bom! Que seus textos fiquem ainda melhores (se é que isto é possível)!

Zeca

Gustavo M. said...

è....envelhecer é uma coisa bem contraditória mesmo.

Nunca é possível ter um ponto de vista definitvo sobre o envelhecer, pois os anos passam, e nossa mente vai mudando com o passar do tempo.

Para um jovem de 18 anos deve ser o fim pensar estar festejando talvez o que? 30 anos....e para essa pessoa de 30 é uma vitória estar vivo e pleno em um país que a cada dia parece que tem mais sobreviventes - do ponto de vista da mortalidade dos jovens (violência, trânsito) - do que que seria o normal há anos atrás.

Hoje, por exemplo com os meus 31 anos eu observo nos jovens os mesmos traços rebeldes e passos incertos que eu mesmo cometia aos 16, 17 ou mais anos....sabemos como eles pensam e o que poderíamos mudar e agir nessa idade, aproveitar os frutos da experiência que nunca é grande aos 31, mas é mais substanciosa do que aos 18.

E ao mesmo tempo, pessoas de 40 ou mais anos nos observam sabendo que mau passo talvez iremos ainda dar, como ele próprio tinha percepção da vida em nossa idade atual. E assim vai se sucedendo o dominó da vida, temos que dar lugar aos nossos filhos e netos, aproveitar o sopro que nos anima tendo consciência que temos uma vantagem instântanea sobre as gerações que nos sucederam....a informação sobre a vida que tiveram, suas biografias, vantagens e desvantagens de sua época, de uma história já escrita que um dia será a nossa história que algum curioso pesquisará talvez a daqui 100 anos.

continua....(reiniciar a máquina...tsc, tsc)

Gustavo M. said...

....

mas envelhecer é legal até o ponto em que estou, como será daqui há 10 anos não tenho como saber. Sem aquele papo de "sinto me muito melhor agora aos 50 do que aos 18" (revistas femininas são pródigas nisso), ou que a idade traz sabedoria e tal. Não sei, talvez possamos ficar mais amargos e reclusos com a idade, manteremos nossos corpos em um nível até que a vontade, dinheiro ou genética permita, ou abandonaremos-nos na mais macia opção sedentária.

não sei, nãos sabemos...é por isso que a vida é sempre interessante: hoje poderemos ter um dia péssimo, mas amanhã caminharemos nas nuvens, envelhecer pode ser igual também, a vitória sobre outros talvez não tão sortudos, a oportunidade de observarmos as gerações que formamos.

è bom agora, talvez seja sempre bom somar um ano a mais no nosso castelo de cartas.

fica uma frase que parece melancólica mas até certo ponto destaca a importância de envelhecer e aproveitar a vida:

"...depois de nunca existirmos e antes de desaparecermos para sempre, nós vivemos um pouco..."
(Millôr??)

é profunda não?

Parabêns!

valéria mello said...

Parabéns e muitas felicidades! Um grande abraço!

Joana said...

Puxa, adorei essa sua visão do tempo. Um dia desses meu primo de dez anos me disse: "como o tempo tá passando depressa", e foi a primeira vez que eu fiquei realmente preocupada. Dez anos! Preocupante. O mundo tá girando cada vez mais veloz, como diz Lenine
Parabéns! Toda a felicidade deste mundo pra você e pra todo mundo que você ama. :)

Paulo de Tarso said...

Os 40 não me trouxeram muita coisa. Mas os 50 trouxeram a noção exata da finitude. Ainda estou meio perdido nisso, mas penso que, depois do primeiro instante de desespero, sobrevem uma paz. Paradoxalmente, a paz de saber-se finito. Começo a senti-la, ainda tênue.
É que - bem pensado - a perspectiva do "desviver" (para não usar a palavra "morte", tão estigmatizada) nos dá um olhar novo para a vida. Pacifica nossas paixões e nos faz meditar sobre o essencial, para não perdermos "tempo, tempo, tempo, tempo...compositor de destinos".
Bem vinda até aqui, e feliz jornada daqui em diante.

mauro chazanas said...

Puxa, cheguei atrasado! Bem feito pra mim: fiquei sem brigadeiro, sem olho-de-sogra, sem cajuzinho, sem beijinho, sem chapeuzinho colorido e aposto que até sem empadinha de palmito! Pra não falar do bolo. Ah, mas refrigerante ainda tem, não tem, tia?(hahahaha, tia é ótimo!).
Alessandra, feliz aniversário. Parabéns.
Daqui dos meus modestos 49 (bem longe ainda dos 120 que é minha meta) e portanto sendo jovem a mais tempo que voce e que a doce Joana, permita-me fazer coro, na famosa versão, junto com a Marylin Monroe: "Happy Birthday To You..."

mauro chazanas said...

Oi, Alessandra, cê dá licença de mais um comentário rápido? ("essa não, o cara chega atrasado, não traz presente e não vai embora!"). É que havia me esquecido de comentar que os teus próximos 13(bonito número, é borboleta), a exemplo dos meus faltantes 70 anos e cinco meses pros 120, serão, e voce pode apregoar isto, quentes. Pode escrever. Pode sim, Alessandra, dizer alto e bom som: "agora vai esquentar". Se alguém perguntar o motivo, diga assim: "aquecimento global, mano, tá ligado?" Nossa, tudo bem, já estou saindo, não fica brava, desculpaí, gente! Foi mesmo horrível. E nem vou dizer que nesse lance do aquecimento global é que a gente vai saber o valor de quem é "pé frio"(sutil alusão a mim mesmo). Putz, chega, tchau, entrei numa gelada e queimei meu filme.

L-A. Pandini said...

Pelo menos até agora, não tenho do que reclamar sobre envelhecer - ao menos do ponto de vista mental. Acho minha cabeça melhor e mais "jovem" hoje, quase quarentão, do que quando eu tinha 18 ou 20 anos.

Mas no aspecto físico a coisa muda. Não tem jeito. Antes, eu agüentava trabalhar uma noite inteira e encarar qualquer coisa no dia seguinte. O corpo agüentava. Agora eu sinto muito mais os efeitos de uma noite mal dormida.

Meu exemplo no quesito "envelhecer com alto astral" é Paulo Autran. Nunca fez plástica e continua em plena atividade com mais de 80 anos (83, se não me engano). Diz ele que um dos segredos de sua saúde é manter o cérebro em atividade constante. Vale qualquer coisa: leitura, jogos, palavras cruzadas, ensaios de peças. Taí: quero chegar aos 80 da mesma maneira que ele. Trabalhando, inclusive.

valéria mello said...

Olá! Voltei pra fazer um novo comentário, agora com mais calma. Falando no passar do tempo, no envelhecer, me lembrei de uma frase que um amigo meu costuma dizer: "os jovens podem morrer, os velhos devem morrer". Que ninguém saia exterminando os velhos! Mas o sentido é que à medida que envelhecemos e olhamos para o que construímos e para as cicatrizes que carregamos, vamos nos dando conta da missão cumprida e a idéia da morte já não soa tão trágica, mas como um repouso depois de uma longa viagem... Mas é coisa para se sentir aos cento e poucos anos!

Outro abraço!

Alessandra Alves said...

muito obrigada a todos! desculpem a pressa, depois volto para comentar item por item, me aguarde!

enio said...

Você não tem cinqüenta.Nao mesmo...

Edu said...

POis é Panda... O bom (ou não) da saúde mental é que quando ela vai embora nós não temos como avaliar. Pelo menos na grande maioria dos casos que conheço é assim.

Um dia desses um velhinho de quase 90 anos discursava na padaria, revoltado com um casal de jovens que acreditam que a gente nasceu para bimbar, sentir prazer, ser feliz e não há nada além disso, que lhe perguntaram se ele não tinha vontade de "descansar". Afirmava que não queria nem saber de morrer, e que talvez pensasse nisso quando a cabeça parasse de funcionar. Logo em seguida emendou um momento de esclerose... Mesmo que a cabeça parasse de funcionar ele não iria querer saber de morrer.

A irmã da minha bisavó morreu ano passado com mais de 90 anos. Na cama ela perguntava onde estava a moça que ia lá cuidar dela. A moça era a própria neta, que estava em coma no hospital. Pra família é terrível, mas para ela mesmo foi um sofrimento a menos.

A minha bisavó morreu com 87 anos, por causa de um cancêr. Ela morreu com a cabeça em ordem, ou seja, morreu com 87 como se tivesse morrido com 40, esperando a morte chegar.

É engraçado como os velhinhos guardam as memórias mais relevantes, como a saúdades da "moça" que ela esqueceu quem era. O Rigoberto Soler, o pai do Uirapuru, que com mal de Alzeihmer avançado sempre exclamava quando via o Lula na TV: Filho da puta! Depois que fui entender a revolta. Como espanhol conviveu as barbaridades que a Reforma Agrária cometeu. A primeira pessoa morta que viu foi um enforcado por ela, dono de um sítio. Certamente via o Lula como herdeiro simpatizante dessas idéias revolucionárias que já haviam destruído uma vez seu país.

Alessandra Alves said...

uma resposta para cada um, mas antes um registro. fiquei muito feliz com os cumprimentos e com outra coisa - o embarque coletivo na reflexão sobre o tema. adoro quando a isca é lançada e todos mordemos. viva a blogosfera!

andréa n.: tão rápido em são paulo, tão rápido em ny. será que em tóquio é mais rápido ainda? alô japão, alguém responde?

zeca: obrigada, e vou atrás de textos melhores, sempre, sempre é possível.

gustavo m.: adorei sua reflexão e, apesar de achar a frase do millôr ótima, não concordo com ele. acredito na continuidade da existência e acho que isso aqui, na terra, é só uma etapa. muita coisa veio antes e muito mais vai vir depois.

joana: chocante isso, né? um pitoco de dez anos achando que o tempo passa rápido?! eu, com dez anos, achava que durava uma eternidade até chegar o final de semana. mas, também, vejamos: a criançada hoje tem escola, inglês, natação, computação, karatê, etc. etc. esprememos o tempo até dos pequenos!

paulo de tarso: engraçado que uma tia me falou a mesma coisa, mas com outras datas - os 50 não mudaram muito, mas os 60...

mauro: obrigada, agora pega um brigadeiro, a fatia de bolo do canto, que foi a que sobrou, mas em compensação é a que tem mais cobertura, abaixa o som que a marilyn não é a billie holiday e aumenta o ar condicionado que o bicho vai pegar.

pandini: seu gosto por coisas velhas é sempre um grande alento para meu inexorável envelhecimento. quanto ao pique do corpo, não posso concordar. eu não correria a são silvestre com o condicionamento físico de vinte anos, mas corri com 36.

valéria mello: legal a frase. velhos morrendo são tristes, mas velhos enterrando jovens são ainda mais tristes.

enio: não tenho mesmo, faltam treze, mas já me assusto.

edu: é, meu velho. ninguém quer morrer, mas ninguém quer ficar velho. é triste perder a razão, muito triste. eu, por exemplo, costumo dizer que quero morrer minha amiga, naquela alusão "pô, quero morrer sua amiga", quando solto algum veneninho por aí. digo isso porque tenho medo de ficar caduca e começar a falar mal de mim mesma!

brasileira em portugal said...

O q realmente é mto contraditório, é k a esperança de vida aumenta, o conceito de velhice se vai adiando, a pessoa pode viver mto mais, a velhice pode ser adiada, mas por outro lado, parece q a gente cresce mto mais depressa. Pois, antes, as pessoas atingiam a maioridade absoluta só mesmo depois de passar a adolescência, aos 21 anos! Agora, a maioridade passou sendo aos 18 anos, qdo uma pessoa com mais de 22 ou 23 anos ainda é bastante jovem, segundo os padrões atuais de velhice e de longevidade. Aliás, se fala k até os 25 anos, uma pessoa pode continuar crescendo, dai k com 18, 19 anos ser considerado adulto é um pco exagero e tmb mto contraditório, pq se assim fosse, a partir dos 24 anos pra cima já se seria coroa, qdo se tá ainda no inicio de vida, pois se as pessoas morrem com mais de 80 anos, pô! Aliás, o conceito de jovem adulto se deveria aplicar em pessoas com mais de 21 anos, e até aos 20 se seria teen e melhor ainda menor de idade. Se bem k há sempre comparações, contrastes e relatividades. Pois qdo eu tinha 6, 7 anos uma garota de 13, 14 anos já era uma mulher crescida. Um rapaz de 15 anos já era um homem. Mas se td bem da questão de ser criança, com mais de 14/15 anos já ninguem é criança, com 11 anos ainda sim. Agora, com 17 anos ainda se é de menor e tal, mas com 18 não se é tão mais adulto do k 17. Axu k, hj em dia com o conceito de velhice bem mais evoluido, as pessoas com mais de 25 anos ainda são jovens, na frescura da vida, dai k dos 21 pra baixo todo o mundo deveria ser considerado mto jovenzinho, mas claro, sempre considerando as diferenças individuais de idade, pois são mto consideráveis as diferenças entre 11, 12 anos e 15 ou 16. Mas se mtas vezes, uma pessoa com mais de 22 anos ainda não tem uma grande vida adulta, pra quê considerar inicio de vida adulta com 18?
Eu tenho 22 anos, faço 23 em Julho deste ano e já faz tempo q eu comparo a diferença de uma pessoa com 70 anos de uma pessoa acima de 90. Claro k tanto a pessoa com 70 como a k tá acima de 90 são 2 pessoas idosas, mas a diferença do estado de velhice é bastante grande, pois se uma pessoa com mais de 90 anos, a pessoa pensar k ela tem entre 70 e 75 anos, putz é sinal de k a pessoa está mto bem conservada. Minha avó já tinha 71 anos qdo perdeu seu pai, com 98 pra 99 anos, ela tinha 71 anos (atualmente tem 80, quase 81 e eu sou sua 3ª neta e me lembro bem de meu bisavô, a minha prima, neta mais velha de minha avó, tava com cerca de 17, 18 anos na época e eu com cerca de 13) e umas primas em primeiro grau de minha avó (q hoje têm 84 e a mais nova faz 80 na semanak vem) perderam a mãe delas com quase 100 anos, elas tinham 72 e 67 pra 68 anos, era cunhada desse meu bisavô, e era minha tia-bisavó, q teve essas 2 filhas, 7 netos e 5 bisnetos (já existiam todos antes dela falecer). Agora, já teria 2 trinetos (tataranetos), bisnetos da filha mais velha, eles têm 4 anos e meio e 1 ano e 2 meses, respectivamente, filhos das 2 bisnetas mais velhas da falecida, a mais velha fez 32 anos esse ano e a segunda tem 30, e cada uma tem um filho, o mais velho é da de 32 e o mais novo da de 30.

brasileira em portugal said...

Ah, e mesmo nos últimos anos de vida de meu bisavô, o pessoal falava q meu bisavô e minha avó pareciam irmãos, eu tenho uma vaga ideia pessoal, mas minha mãe (k é filha dessa minha avó e neta desse meu bisavô) acompanhava qse sempre essas situações e agora (e de há anos pra cá) comenta mto isso: "putz, as pessoas falavam mto k mamãe e vovô pareciam irmãos".

Sexy girl said...

Yah, essa cena da idade é td mto relativo. Realmente eu tbm axu k se a esperança de vida se prolonga, pra k é q se considera k os jovens de 18 anos já são adultos? Mtas vezes, há mts k com mais de 21 ou 22 tb ñ são assim tão adultos. Realmente eu tmb axu k se devia de atingir a maioridade depois dos 20 anos, e considerar mto jovenzinhos akeles todos (plo menos) abaixo de 20/21 anos. Se bem k um amigo de um primo meu (de 23 anos, o meu primo) tem (e tinha, só k ultimamente não têm tido contacto) k tem qse menos 3 anos do k ele, eu tinha 17 anos e meio mais ou menos, o rapaz tava basicamente na minha faixa etária, tinha uns 16 anos, e eu julguei k ele tivesse uns 21/22 nem um bocadinho menos, era um tipo todo "bem parecido", apessoado, e com um ar, aspecto de rapaz bem mais velho, com 16 aninhos (eu tinha uns 17 e meio, basicamente no mesmo parâmetro etário -actualmente tenho 22 anos, feitos em Fevereiro) parecia já ter passado dos 20.

Sexy girl said...

E mmo os meus bisavós duraram mts anos. O meu bisavô começou a trabalhar mto cedo nos meios rurais, com 16, 17, 18 anos já levava imenso dinheiro pra casa depois de trabalho duro, e a minha bisavó conheceu-o, e ela engravidou dele qdo ele tinha mais ou menos 19 ou 20 anos. Ele, mesmo antes de ser severamente recriminado plos pais, teve a noção de k tinha de assumir as suas responsabilidades a assim foi, entretanto o irmão mais velho da minha avó paterna nasceu qdo o meu bisavô tinha 20/21 anos e a minha bisavó 25. Esse meu tio avô tem hoje 81 anos. A minha avó é a segunda e tem qse 79 anos, e a seguir vem outra irmã de 76 anos. O 4º e ultimo já veio uns anos depois, tem agora 70, esse meu tio avô. O meu bisavô teve os filhos mais velhos ainda novinho, trabalhou desde mto cedo, e viveu até aos 96 ou 97 anos, eu tinha 15 anos qdo ele morreu. A minha bisavó morreu qdo eu era mto pekenina, mas lembro-me vagamente dela, já tava com quase 90 anos ou mesmo 90. Agora, o meu tio avô mais velho teve 2 filhas, uma k tem 56 e uma com 50, a minha avó só teve o meu pai -tem 52 anos-, q com a minha mãe -54 anos- só me tiveram a mim (a minha mãe teve um aborto espontâneo com 3 meses de gravidez, quase 5 anos antes de eu nascer, esse meu irmão teria 27 anos) e a irmã a seguir à minha avó casou-se aos 20 anos, o marido tinha 18, e foi pai pla primeira vez dos 19 para os 20 anos, eles tiveram mais 2 filhos (ao todo são 3) o mais velho tem 54, faz 55 este ano. Agora, o meu tio avô de 81 anos já é bisavô, pois a prima direita do meu pai, q k tem 56 anos, tem um filho mais velho com 30 anos q se casou e teve uma criança k tem hj 2 anitos. Essa prima ainda tem 2 filhos mais novos a viver com ela, uma rapariga e um rapaz, de 25 e 23 anos respectivamente. Agora, o meu tio avô de 70 anos teve 4 filhos e foi pai tardio. O filho mais velho dele tem quarenta e tal anos e tem 2 filhas, uma de 17 (a neta mais velha desse meu tio avô) e outra com quase 13 anos, e a seguir outro com quase 40 anos q tem uma criança com 5 anos. Estes são os filhos do 1º casamento do meu tio avô. Os filhos do segundo, temos uma de 33 anos e um k fez há 3 semanas 24 anos (ou seja, quase da minha idade e primo direito do meu pai)

Sexy girl said...

E ainda sobre kestões de velhice, realmente há cotas k ainda têem os pais vivos. Por exemplo, primeira mulher do meu tio avô de 70 anos, mãe dos 2 primeiros filhos (ela neste momento tá divorciada e sozinha, mas depois do divórcio com o meu tio avô, casou-se e voltou a ser mãe mais ou menos com 40 anos, a filha do segundo casamento dela deve ter mais uns 6 anos e meio ou 7 do k eu), ela teve mãe viva até ao Verão passado, morreu com 96 anos, estava há uns anos internada num lar de 3ª idade. Fomos todos ao seu funeral e o meu tio avô sempre estimou essa ex-sogra. O pai dela morreu no ano a seguir ao meu bisavô, só k relativamente mais novo, aos 91 anos, o neto mais pekenino do meu tio avô q tem agora 70 anos, estava em gestação (e seria bisneto do defunto). Mas de qqr maneira, o meu tio avô tem um sogro vivo k faz neste fim de semana 90 anos (a actual mulher dele tem 63 anos, a anterior a esta, k teve mãe viva até ao Verão passado, tem quase 70 anos). A ultima sogra do meu tio avô era quase 2 meses mais velha do k o sogro dele, mas morreu com doença cardiovascular, devido aos diabetes, aki há 4 ou 5 anos, mmo assim já era mto velhinha. Resultado, a actual mulher do meu tio avô, aos 63 anos tem um pai vivo à beira dos 90 anos.
Ah, e ainda sobre o comentário acima, realmente o meu tio avô, desta familia, foi o k mais foi pai tardio, e do filho mais velho do primeiro casamento ao filho mais novo do segundo, vão cerca de 20 anos de diferença.

Go-go girl (Carla Sofia) said...

Sim, realmente esse negócio de idade, minha bisavó morreu aos 98 anos, há 7 anos atrás. Meu avô já tinha 72 anos. Meu bisavô, 3 anos e meio mais velho morreu qse 20 anos antes. Meu avô tem atualmente 79 anos, minha mãe fez na semana passada 51, meu pai tem 57 (estão separados). Tmb minha bisavó teve 1 irmão 7 anos mais velho k morreu com 90 anos, minha mãe estava grávida de mim (nasci a 1 de Novembro de 1984, tenho 22 anos e meio), mas a esposa dele morreu qdo eu tinha uns 6 anos, ela tinha quase 96, e tiveram 2 filhos k estão entre os 80 e os 85 anos, k já têm cada um um bisneto (dai 2 sobrinhos tataranetos de minha bisa). Agora, minha bisa e seu irmão tiveram 2 primos direitos k eram mais velhos q minha bisa e um pco mais novos q seu irmão. A filha de 1 deles está viva, com 85 anos, se casou com vinte e poucos anos com um homem 1 ano mais novo, quase e eles tiveram 2 filhos, uma q tem 61 anos (faz 62 esse ano) e outro com 59. Este de 59 tem uma filha k acabou de fazer 31 anos, e a irmã mais velha tem 2 filhos, uma de 33 anos (faz anos em Outubro), e um de 26 anos, tem mais ou menos 4 anos, 1 mês e uma semana do k eu, mas é o k tá mais próximo da minha idade, mas tmb qdo eu tinha 11, 12 anos ele já era um "garotão". Agora, essa de 33 anos tem um filho de 5 anos. O bisavô dessa criança, se separou da nossa prima de 85 anos e se casou com uma senhora com menos 8 anos, mais ou menos (ela tem 76, faz 77 no começo da segunda metade do ano), e ela já tinha um filho de outro casamento, mais ou menos da idade de minha mãe, tem agora 51 anos (e é bem mais novo k os netos de um dos primos direitos de minha bisavó), esse tem um filho de 20 anos e uma filha de 17. Agora, a mãe dele e o ex-genro de um dos primos de minha bisavó tiveram filhos em comuns, um k tem 38 anos (faz esse ano 39, e faz 40 em 2008) e outra de 35 anos, essa última o cara já tinha quase 50 anos (ele morreu de problemas cardíacos há 2 anos, aos 82 anos, teria 84 se fosse vivo), e o cara tava sendo pai na idade com k eu tou agora, mais ou menos, ele já teve os 2 filhos mais novos qdo os filhos do 1º casamento já estavam acima dos 21 anos.

Go-go girl (Carla Sofia) said...

Ah, e olha só k ao contrário da geração anterior dos primos de minha bisavó, q tiveram filhos qdo estavam entre 21 a 25 anos, o mesmo tmb se passou na década de 40, qdo uma prima nossa e o ex-marido tiveram os netos de um dos primos de minha bisavó, o resto teve filhos na faixa dos 28-30 anos, e minha avó materna se casou tarde para os padrões da época, com qse 30 anos (ela tem qse mais 3 anos q meu bisavô). E eu conheci e conheço portanto pessoas já com idades bem avançadas, por acaso, os segundos sogros do ex-genro de um primo de minha bisavó, eles ficaram amigos de minha bisavó, visto k tinham idades paroximadas. O senhor morreu antes da bisneta k tem hj 17 anos, nascer. A avó dos meios irmãos mais novos dos netos do primo de minha bisa, morreu uns 5 anos antes de minha bisa, tmb com mais de 90 anos.
E realmente axo k gente com 17, 18, 19 anos ñ é assim tmb adulta, são garotões, mas tmb com esses exemplo k dei, q hj em dia as pessoas fazem sua vida já com 25 ou mais, gente até 23, 24 anos é bem jovem nos padrões de hj, mas agora, com menos 5, 6 anos já é assim tão homem/mulher? E realmente faz diferença. Um primo nosso de 26 anos, q é bisneto de um primo de minha bisavó, esse k é pco mais de 4 anos mais velho k eu, tem um amigo de 22 anos pra 23 (ele tem mais uns meses k eu -meu níver é a 1 de Novembro, ele faz agora dia 2 de Junho 23 anos), mas no entanto ele tem um perfil e aspecto de garotão mais novinho, mta gente pensa k ele é moleque, ele passa por uns 18,19 aproximadamente, tem jeito de ninfeto.

Sexy girl said...

E por acaso, mtas vezes o meu pai conta k a minha bisavó, avó dele, falava-lhe de historias k se passaram reconstituindo as historias familiares, etc (aliás, plo meu pai e os meus tios avós contarem as coisas é k eu sei mta coisa acerca da família e histórias), a avó materna do meu pai dizia-lhe mtas vezes: "ah, o teu avô, era quase uma criança qdo eu o conheci e nos relacionámos, meu filho!" e por acaso qdo o meu pai nasceu, o meu bisavô era 2 anos mais novo do k ele é agora, e é o 3º neto, pois o meu bisavô casou-se mto jovem, pois engravidou a minha bisavó, e ele já trabalhava mto antes dos 20 anos. E a minha avó paterna k acabou precisamente há uma semana de fazer 79 anos, já tinha p/ai 72 ou coisa do género qdo o avô materno do meu pai morreu

Ivo gatenho said...

Sim, realmente com 18 anos não se é especialmente mais adulto do k com 17, pk senão, vejamos, uma pessoa k nasceu a 2 de Fevereiro de 1990, a 1 de Fevereiro de 2008, é mto inocente, mto novinho, até de perfil, e passadas 24 horas tá totalmente diferente! Aki mané! Pois esse pormenor de maioridade é realmente uma convenção legal e burocrática do código cívil. Pois podia ser determinada 17, como 19, já k baixaram dos 21. Aliás, adulto, ninguém é adulto abaixo dos 21 anos. Acima sim, a pessoa tá no inicio de idade adulta e de estado adulto, em termos biológicos, mas abaixo dessa idade NÃO! Pois senão, por essas coisas, é k uma pessoa nova se sente velha, tipo uma pessoa com 22, 23, 24 anos ainda tá bem na flor da vida (sendo também jovem adulta, claro) e se vê garotões e garotonas mais novinhos, como adultos, até se chegam a sentir coroas mto cedo! Agora também depende, tem gente de 18, 19 anos com mentalidade bastante adulta, e gente com 23 ou 24 mto imatura e irresponsável. E até aos 25, a pessoa pode crescer mais um pco, dai k dos 21 a 25, são os anos mais frescos da idade adulta jovem, pois abaixo de 21, não tem adulto. Mas também a partir de 15, 16 anos já não se é mais criança, com 11, 12 sim, e nessas idades as diferenças são mto mais notáveis e evidentes. Os garotos e garotas de 15, 16 já são bem garotões, comparando aos de 11. Agora, 24 horas de vida não fazem diferença nenhuma, e 17/18 é uma faixa mto juvenil em relação a kem tem 21 pra cima. Por exemplo, 17/18 (ou 17 e/ou 18) pra uns 23 aproximadamente, faz uma diferença razoável, e com 18 anos e 1 mês se está basicamente ao mesmo nível de 17 anos, 11 meses e 30 dias, por exemplo. Mas eu só comentei os últimos comentários, e só foi comparar idades jovens e novas, mas isso tmb pra dizer k o conceito de velhice se tem adiado, pois uma pessoa entre 40 a 45 (k eu acredito k hajam diferenças individuais de idade) não é como era uma pessoa nessa idade nos anos 50 ou 60, se as pessoas estão vivendo cada vez mais. Mas també, qdo gente é criança, a gente tem outras perspectivas, mas vai empurrando a velhice das pessoas, qdo cresce. por exemplo, pra mim, aos 6, 7 anos, garotas de 14 ou 15 anos já eram bastante mulheres, ou seja, as percepções das coisas são mto diferentes. Tenho quase 22 anos

Sarah, Crazygirl said...

Oi gente, fiz 22 anos no dia 1 de Julho. Concordo plenamente com os ultimos comentários dos ultimos posts. O meu pai fez 56 anos há pouco tempo, e minha mãe tem 53 (faz aniversário no começo de Setembro, fará 54). Meus pais só me tiveram a mim, e eles também são filhos únicos. Minha mãe tem a mãe dela viva k já comemorou 80 anos em Março. Meu avô materno morreu qdo eu tinha 17, 18 anos, há cerca de 4 anos, com 77 pra 78 anos (ele teria feito 82 anos ontem, dia 15 de Julho) morreu de problema cardíaco, meus avós paternos são os 2 vivos, ele com 83 e ela com 81, ou seja, posso dizer k meus avós têm todos mais de 80 anos (meus pais me tiveram também uns 5 anos depois da união deles, e o meu pai tinha 34 anos qdo eu nasci, senão eles já poderiam ter filhos com quase 30 anos). O meu avô paterno tem uma irmã mais velha de 85 anos e um irmão mais novo de 78. O pai deles, meu bisavô, me conheceu até os meus 3 anos (faltavam cerca de 2 meses pra eu completar 4, qdo ele faleceu), ele morreu aos 94 anos, faria 95 em Setembro desse ano (1989, no caso), se permanecesse vivo, meu avô já tinha 65 anos, e pelo k meu pai conta, o pai dele chorava copiosamente qse k nem uma criança, ao perder seu pai:"papai já tinha 65 anos qdo vovô morreu, e chorava copiosamente k nem um garotinho, era impressionante", segundo falou meu pai. E a avó materna de minha mãe faleceu com 92 anos, ´já eu tinha 6 pra 7 anos, fez 15 anos, dessa me lembro um pco melhor.

Sarah, Crazygirl said...

E meu bisavô qdo faleceu, já tinha bisnetos já crescidos. Eu fui a mais nova k ele conheceu, a seguir ao neto mais velho do irmão caçula de meu avô paterno, tem hj 23 anos (o pai dele tem 51, e teve um outro filho k já nasceu mto depois da morte de nosso bisavô, de um segundo casamento com uma mulher k tem 47 anos, e um filho de 18 anos de uma relação anterior, em comum têm um filho de 11 anos), a filha mais nova desse meu tio avô, tem 49 anos e uma unica filha de 19 anos, essa menina fez 1 ano de vida nos 1ºs dias de Maio, logo após a morte de nosso bisavô, mas ele não a conheceu. Agora, a minha tia avó de 85 anos se casou com um amigo de quase infância de meu avô paterno, qdo ele tinha aproximadamente 20 anos, pois ele a havia engravidado do 1º filho, k faz agora 62 anos (o pai fez há uns dias 83, minha tia avó faz 86 no fim de Novembro), e tem 2 filhas de cada casamento, uma de 36 anos e outra de 24. A seguir a irmã dele tem 59 e um unico filho de 32, e o irmão caçula deles tem 54, faz 55 no final do mês, e tem uma unica filha k tem 27 anos. Agora, os netos de minha tia avó e desse amigo de meu avô e padrinho de meu pai, k têm mais de 30 anos, o k tem 32 anos tem um filho k faz 4 anos, e a prima dele (neta mais velha de minha tia avó), de 36 anos, tem uma filha de 7 anos. E ela está atualmente grávida de um rapaz, k vai nascer daqui por cerca de 15 dias (fim de Julho/inicio de Agosto), 3º bisneto de minha tia avó, e a familia tá toda empolgada, principalmente os bisavós, avós, tia, tios-avós, primos (e meu avô também, tio-bisavô da criança), já serão cerca de 85 anos de geração em relação à irmã mais velha de meu avô paterno.

Anonymous said...

Gostei mto dos ultimos comentários aqui nesse post. Realmente o tempo passa bastante depressa, mas a pessoa vive cada vez mais, realmente a gente tem k perspectivar a vida e a passagem assim noutro prisma. E depois tem gente k aparenta menos idade, por exemplo meu pai tem 57 anos, mas lhe dão 50 no máximo, e qdo meu pai tinha uns 21 pra 22 anos, ele parecia ter 18 ou 17, sempre teve cara de garotinho...

Sarah, Crazygirl said...

E eu também tive uma tia-bisavó, irmã caçula de meu bisavô -avô paterno de meu pai- ela era a 4ª de 4 irmãos, meu bisavô era o segundo, apenas 1 ano e meio mais novo k o irmão mais velho, e os 2 irmãos comuns deles morreram bem antes de meu bisavô. Agora, essa irmã caçula de meu bisavô era uns 9 anos mais nova k ele, e morreu aos 95 anos, em 1999, qse no fim do ano, completaria 96 por volta do Natal desse ano. O marido era 1 ano mais velho e morreu qse 20 anos antes dela, e não conheceu os bisnetos. Os filhos dela, primos direitos de meu avô e de seus irmãos k eu falei, ele tem 77 anos e a irmã 74, atualmente. Cada 1 só teve um filho. O dele faz 51 anos e o dela fez 48 há mto pouco tempo. O mais velho tem uma filha k fez há uns dias 24 anos e um filho de 20. A filha do mais novo (primo do anterior) tem 18, dai k os 3 bisnetos dessa minha tia-avó estão entre 18 a 24 anos, e tinham entre 10 a 16 qdo a bisavó deles (e tia-avó de meu pai) faleceu. A sobrinha-neta mais velha de meu avô paterno, estava grávida de 8 meses e meio de sua filha de 7 anos, ou seja, nossa tia-bisavó tava qse sendo tia-tataravó. Ah, e atualmente essa nossa prima, hj com 36 anos, acabou de ser mãe novamente de 1 rapaz, no passado dia 31 de Julho, a irmã mais velha de meu avô paterno já tem 3 bisnetos, logo, meu avô já é triplamente tio-bisavô e estão todos radiantes, mais uma vez se vêem as diferenças de gerações...

Anonymous said...

Adorei o post e acho k ele tá mto bem comentado! Nessa questão de idade, tenho 21 anos mas me dão aproximadamente 17. Sou homem, tenho 21 anos feitos em Abril, mas tenho mó cara de moleque pra 21 anos, sou perfeitamente bem apessoado, bem afigurado, garotão tipo "bem enquadrado", mas ninguem pensa k tenho 21 anos, me dão 18, 17 ai assim, aproximadamente 17, qse todo o mundo se espanta qdo eu falo k tenho 21, falam sempre, se referindo a mim, como um garotão de 17/18 anos... tenho mó jeito de moleque!

Rita said...

o tempo passa voando, mas a gente tem q encarar as coisas noutro prisma, mto mais positivo. Agora, realmente a juventude se prolonga mto, hj em dia... Outro dia, tava eu vendo um casal na casa dos trinta (se notava nitidamente k era um homem e uma mulher com uns trinta e poucos anos), numa praia, ele era um morenão tipo latino, um corpão super queimadão, brinco na orelha, uma tatoo nas costas, mto bem sarado, e olhos cor de mel -isso se notava quando tirava o óculos de sol- e ela uma loira bombástica de olhos azuis, um baita mulherão, muito gostosona por sinal , estavam os 2 inteiraços (mais uma vez digo, pareciam nitidamente ter trinta e poucos anos, os 2), ele usava uma sunguinha miunuscula, proporcionalmente mto cavada e ela um biquininho curtissimo fio dental, e uma tatoo no bumbum e piercing no umbigo, um tesão de casal (nitidamente) trintão. Qdo eu tinha uns 4, 5 anos, meus pais, k hoje têm mais de 50 anos, eram trintões na essa época (eu tenho 21 anos e meio atualmente), e pra mim eram completamente diferentes do k são hj essas pessoas com trinta e tal anos... Agora, por outro lado, e como na maioria dos posts anteriores falaram, parece k as pessoas crescem mais rápido. Aliás, tem mta menininha de 12 anos k pareçem ser garotas de 15 anos ou 16 ou mais até, em termos de postura, jeito como se vestem, e fisicamente, enfim, vários fatores fazem com k essas meninas pareçam garotas mais velhas. Outras nem tanto, estão bem de acordo pra meninas das idades k têm, outras q já aos 12 anos, a gente pensa q elas têm 15, 16 ou mais...

Sarah, Crazygirl said...

E em relação a esses primos de meu avô e meus tios-avós, eles mesmos são hj em dia idosos septuagenários, mas estão otimamente bem. Inclusivamente, têm casa no norte da Venezuela, q eles compraram com o dinheiro q pai deles (tio avô de meu pai, por afinidade) deixou, qdo morreu, qse 20 anos antes da esposa. Pra além do casarão, uma especie de condominio com 2, 3 casas, onde essa familia mora, q era originalmente do sogro de minha tia bisavó, q era um homem cheio da grana, e o marido dela também era um homem rico, veio de uma família rica. Esse casarão, especie de condomínio de 2, 3 casas é habitado por essa familia, até os netos e bisnetos da minha tia bisavó. Mas para além disso, como referi, eles têm casa no norte da Venezuela, q é habitada por eles e pelo resto da familia e eles ainda se dirigem até lá, e a casa é também dos respectivos filhos únicos, noras e dos netos (a neta mais velha já tem carteira de motorista) e basicamente eles se mexem bem e usufruem otimamente a velhice e a aposentadoria. Até inclusivamente a mãe deles q morreu com 95 anos, conheceu essa casa e era conduzida pelos filhos e/ou os netos, pois aqui há 25 anos pra baixo, ela já tinha idade bastante avançada. De qualquer maneira, esses primos de meu avô se dirigem até lá, e mesmo qdo os filhos e os netos têm férias, passam lá nessa casa na Venezuela.

Leandro said...

Aliás, pra quem é muito jovem, 5 anos já faz muita diferença. Foi dito que a experiência é mais substanciosa e se consegue colher melhor os frutos é melhor com 31 do q com 18. Mas também com 23 anos, a pessoa já tem uma vivência e experiência de vida, formação mais do q uma pessoa com 18. Uma pessoa de 23 anos, pelos padrões de hoje, é muito jovem, mas é mais adulta do q com 18 ou 19. Se bem q para pessoas com mais de 50 ou mais de 60 anos, muitas vezes não distinguem ou não conseguem distinguir as diferenças individuais de idades dos jovens adultos. Claro q comparado a pessoas acima de 50 ou acima de 60, uma pessoa com cerca de 21 anos não é muito mais velha do q outra de 16 ou 17, por exemplo. Ainda no ano passado, melhor, começo de ano 2007, eu tinha 21 para 22 anos e um primo meu tinha 17 anos e meio (ele fez 18 há relativamente pouco tempo, e acho ele um garoto muito jovem, até pq eu mesmo tou agora começando a idade adulta, ele ainda nem 20 anos tem, pode tar maior em termos civis e legais, mas não tá muito diferente de há 6, 7 meses atrás), e um primo de meu avô me perguntou por ele, e perguntou: o f... tem a tua idade? - eu respondi q não, q tem menos 4 anos e alguns meses, e só tinha 17, enquanto eu quase 22, e ele tem 67 anos e realmente uma pessoa com uma vasta experiência de vida, com sabedoria e maturidade, pra ele, 4, 5 anos de diferença em jovens, é muito difícil distinguir, ainda pra mais q um rapaz de 17/18 e um de 21/22/23 pra ele são garotões jovens e pra pessoas muito mais velhas é difícil distinguir. Eu também, sobretudo qdo era mais jovem, não conseguia distinguir uma pessoa de 30 de outra de 34/35. Mas agora, com uns 24 anos aproximadamente, uma pessoa tem mais experiência e mais substância de vida do q outra de 18, 19, pelo menos é mais adulta, e com 20, a gente tá numa esfera diferente do q com 15, por sua vez jovens com 15, 16 estão numa esfera diferente do q com 11 anos, por exemplo.
E outra é que, a namorada de um primo meu, de 23 para 24 anos (é irmão mais velho daquele primo q referi) tem 22 anos quase 23 mas com aspecto de mocinha de 18 anos no máximo, não ultrapassa 1,70 e tem jeito de ninfeta mais novinha, é gatinha, muitas vezes saiem os 3, e ela até parece mais dentro da idade do irmão mais novo, do q do namorado