Wednesday, February 07, 2007

Alguém precisa detê-lo

.
É de se desconfiar. Sujeito quando vira nome de era, alguma séria aprontou. Era Vargas, Era Napoleão, Era Hitler. Foi, aliás, na Era Collor que ele mereceu a sua. Péssimo sinal. Depois, vá lá, recuperou-se, assumiu a braçadeira de capitão, ergueu a taça. Não que tenha aprendido a ser craque, impossível ir contra a genética. Mas virou símbolo de determinação, braços tesos, punhos cerrados, como se chamasse para a briga na esquina. De fato, não mudou. Mudamos nós, aos poucos engolindo a lógica de que o importante é vencer, meio a zero, futebol de resultados, essas coisas que nos fizeram esquecer da beleza.

Chegou a técnico da seleção brasileira sem nunca ter treinado nenhum time antes. Tudo bem. Releve-se. O problema não era jamais ter visto Dunga nesse cargo. O terrível foi ver, pela primeira vez, Dunga sem uniforme de jogador. Ele teria sido perdoado de tudo se cristalizasse sua imagem em nossas retinas com o amarelo da camisa, o azul do calção e a taça de 1994 sobre a cabeça. Mas não. Ele primeiro apareceu com isso:



Nossa Senhora de Coco Chanel, me dê forças. Respiro fundo. Sim, já superei meu trauma de paletó ou blazer à beira do gramado. Quando Luxemburgo começou com isso, primeiro eu ri, achando que um técnico de futebol de terno, à beira do gramado, era a mesma coisa que um noivo, à beira do altar, de sunga. É esquisito, mas digerível (o técnico, não o noivo de sunga). Então, aceitei o blazer de Dunga, a gola rulê. Jogo na Europa, fazia frio, afinal. Por mais que me apegasse a meu protetor, São Christian Dior, não dava para ignorar aquela coisa vermelha, parecendo o lencinho de um maitre de churrascaria, escapando pelo bolsinho do blazer. Ah, era uma gravata, explicou o dândi depois. Claro, tudo resolvido. Mas alguém pode me dizer onde ele ia enfiar uma gravata naquele suéter de gola rulê?!

Não, não respondam.

Ontem, na Inglaterra, um amistoso entre Brasil e Portugal. Frio a ponto de alguns jogadores entrarem em campo usando luva e cachecol. Pois o maneco resolve desfilar, à beira da verde grama, usando apenas uma camisa. Ou melhor, isso:




Dunga eternizou-se como um jogador duro, que parava o adversário, detinha o ataque contrário. Agora me respondam, por Santo Yves Saint-Laurent, quem pode detê-lo?

19 comments:

Flaviapm said...

Realmente era de amargar!!! E a camisa ainda tiha dois detalhes HIPER fashion - duas riscas horizontais de veludo que desciam dos ombros e botões brilhantes - no meio daquele montes de estampas...
Assim com tanta distração os jogadores não podem mesmo se concentrar em ganhar o jogo!!!!
Ainda tive que escutar algumas boas do marido durante o resto da noite!
Assim a Malu vai ser mal influenciada e vai torcer p. Portugal!!!!!Afinal o Felipão está sempre "bem vestido" com os agasalhos da seleção e não erra!
Beijinhos e boa semana!!!

Anonymous said...

É meio estranho mesmo ver treinadores de terno e gravata, coisa européia eu acho, mas eu fico com calor pelo Luxemburgo vendo ele na beira de campo nesse verão que Deus nos deu! Mas se ele se acostumou vá lá, tem gosto pra tudo, o Dunga pelo que sei segue conselhos da filha que é estilista. Não sei se era ora do pai dar uns "sujerimentos" (neologismos dele) para a filha. Mas perdoe a piada de 5ª, mas é perigoso ele entre em campo de salto alto!!! Fui horrível eu sei, mas não resisti.

Felipe Atch
Espírito Santo

Valéria said...

O espelho certamente poderia detê-lo. E o senso de ridículo.
Ficou parecendo turista americano no carnaval.
Mas, o pior de tudo nem foi a camisa, mas o futebol. De chorar.

Herik said...

Aí eu pergunto: Como um jogador pode prestar atenção no que o Dunga fala tendo que olhar para aquela tela de TV "chuviscando" em sua frente?
Já que está tudo errado mesmo, que tal o Clodovil de técnico da Seleção e Dunga como Deputado?

Anonymous said...

Lugar de frescura é na passarela!Lá ,pode!
O pior é ver o Dunga assim ,fica mais cafona ainda,um horror,imagina um travesti na beira do campo como tecnico,não cola mesmo se estiver de farda.
Infelizmente o Dunga está mostrando que foi um bom soldado,subiu de posto ,o miolo derreteu!

Jonny'O

valéria mello said...

Até o jogo de ontem eu ainda engolia o "estilo fashion" dele. Mas essa camisa, pelo amor de deus! E o pior é o Galvão achando tudo muito lindo!
Abraços!

enio said...

Assisti o jogo com um amigo. Cheguei 5 minutos atrasado e ouvi o seguinte comentário: olha que camisa estranha o dunga tá usando embaixo do agasalho. Parece o Magnum.

Acho eu que, ganhando, pode até entrar com cocar. Olha só o que a Valéria comentou acima...

Derrota e cafonice vão dar dor de cabeça mesmo pra ele.

fran said...

Jesus.... que medo!

Anonymous said...

Você tocou num ponto essencial: a falta de experiência como técnico. Então, o sujeito, inseguro como técnico, precisava mostrar personalidade. Pois bem, começou o serviço deixando Kaka e Ronaldinho no banco. Nisso tudo bem, os dois até que mereceram. No entanto, exagerou no castigo ao melhor jogador do mundo, a tal ponto de deixá-lo aborrecido. Agora, dizem mundo afora, o menino quer dá um tempo. Enfim, tentando mostrar personalidade nosso destemido treinador-modelo conseguiu desmotivar o recurso mais precioso que tem o futebol brasileiro. Isso é patético! Ele (Dunga) tinha sim é o dever de tirar o máximo e não reduzir a capacidade do Ronaldinho ao mínimo.

Não satisfeito com ataques aos talentos, Dunga investiu na imagem para mostrar personalidade e superar a insegurança de nunca ter sido técnico. Aqui não há muito que dizer, visto que não entendo de moda. Mas, há julgar pelo resultado que conseguiu com o Ronaldinho, devo imaginar que sejam merecidíssimas as críticas às indumentárias desse sujeito.

Conclusão: Dunga como técnico é um desastre. Tudo que ele faz é medonho, bizarro...Ele que vá enfiar aquela gravata na...(deixa pra lá!)

Alessandra Alves said...

flaviapm: a malu nasceu em portugal, mora em portugal, tem pai português. por que diacho você acha que ela torceria pelo brasil?! você reparou bem na vestimenta do homem, hein? gostei! e adoro o jeito como os portugueses se referem às camisas dos jogadores - camisolas!

felipe: pois é. tem coisa que só filho obriga a gente a fazer. eu, por exemplo, esgotei minha cota de mcdonald´s por essa vida graças aos hábitos gastronômicos do meu. mas daí a aparecer ridículo desse jeito, via satélite, já é abuso de poder filial!

esse caso do dunga lembra um episódio do seriado "seinfeld", no qual jerry sem saber aceitava usar a criação de uma estilista durante um programa de tv, e o coitado terminava vestido ridiculamente como um pirata.

valéria: estava o próprio gringo no samba, você tem razão.

herik: hahahaha, é verdade, não dava para prestar atenção em mais nada diante daquela aberração. parecia uma tv branco-e-preto com defeito. juro que não sei o que seria pior, se clodovil no campo ou dunga no congresso...

jonny´o: meu amigo, serei obrigada a discordar de você. futebol só é esse terreno de macheza a que você se refere porque os gays ficam muito escondidinhos. mas que estão lá, como em qualquer profissão, isso estão. eu não teria problema em ver um gay assumido em campo ou à beira do gramado, desde que ele fosse competente. o problema do dunga é que as roupas estão chamando mais a atenção do que o trabalho dele como técnico.

valéria mello: o galvão gostou, é? não me surpreende.

enio: pois é, se estivesse ganhando, a camisa seria o de menos. acho até que isso contribuiu para a gente digerir o luxemburgo. suas roupas são impróprias para o local, mas ele ganha títulos, vá lá.

fran: desculpe pelo susto, mas eu precisava compartilhar isso.

anônimo: por partes. concordo com o exagero do castigo ao ronaldinho. acho que o dunga quis pegá-lo como "exemplo", para mostrar aos demais que ali não tem lugar para estrela. é o mesmo método mão-de-ferro de técnicos como o leão. detesto, por princípio ideológico. o ronaldinho não tem jogado bem na seleção, mas comeu a bola com o felipão, que é um cara firme, tem autoridade, mas é invariavelmente adorado por seus jogadores. endurece, sem perder a ternura.

talvez ele tenha mesmo investido (?!) no visual para criar uma imagem, mas não está dando certo. vide o que a imprensa argentina tirou de sarro dessa última camisa. eu acho que se trata mais de atender às sugestões da filha, coisa de pai, mas está trabalhando muito contra a imagem dele.

há coisas aparentemente sem sentido, extra-campo, que têm um valor psicológico imenso no ambiente esportivo. vocês se lembram do cabelo do ronaldo, na copa de 2002? foi quando ele deixou aquele tufo de cabelo no alto da testa, parecendo o cascão. aquilo aconteceu em um momento de extrema pressão na seleção e eu não duvido que a idéia tenha partido do próprio felipão, comprada pelo ronaldo, para desviar a atenção. só que o time estava ganhando e foi campeão daquela copa. o dunga, chamando a atenção para si mesmo, com o time (?!) jogando daquele jeito não favorece ninguém. nem a ele, nem ao time.

ele pode se vestir de carmem miranda na beira do campo, se continuar tirando atacantes lépidos como o rafael sóbis e colocando tanques letárgicos como o adriano, vai tomar vareio mesmo. depois das subsituições dele no ataque, o brasil levou dois gols e, pior, sofreu oito finalizações de portugal, contra nenhuma feita por seu próprio time!

Joana said...

hahahahahaha!

Herik said...

Alessandra, ontem ouvi mais uma sobre a camisa do Dunga que achei legal. Você se lembra do Bolinha? Aquele do Clube do Bolinha, programa de TV na década de 80 que tinha uma bailarina de palco emburrada, uns calouros "sensacionais" e uns cantores?
Pois é, ouvi que o Dunga estava igual ao Bolinha. Hehehehe... O pior é que de Bolinha a Chacrinha é só um passo.

Anonymous said...

Desculpe Alessandra,talvez tenha me expressado mal (ou será mau?).
Me refiro a frescura,e não se a pessoa é gay .
No caso terno e gravata bem como um desmonhecado não combina com futebol,um esporte de contato ,rustico.Lembra do César Luís Menotti,todo elegante na copa de 78 ? Venceu mas sua imagem de certa forma destoava com futebol.Igual ao Margarida se era bom arbrito bon ou não ,não vem ao caso,o fato é que não combina.
Nada contra a preferência sexual de cada um.

Jonny'O

Marcio Gaspar said...

Não gosto do Dunga. Aliás, detesto o Dunga. Pra mim, aquela Copa de 94 foi uma vergonha, a vitória do futebolzinho burocrático e sem graça, marca registrada da abominável dupla Parreira/Dunga. Mais do que o Maradona na Copa de 86, mais do que o Garrincha em 62 ou do que o Pelé em 70, aquela foi a Copa ganha por um homem só: Romário. Pena que o baixinho esteja tornando patético o seu final de carreira, arrastada de forma ridícula há anos. Lembram-se do baixo astral do Dunga levantando a taça em 94? Em vez de alegria e sorrisos, palavrões e olhos injetados de ódio - um horror. E agora, depois que o imbecil do Parreira não soube fazer o melhor time de todos os tempos jogar bola em 2006, temos que aturar o Dunga de técnico? Ôô tristeza...

Marcio Gaspar said...

E será que alguém aí quer contratar a Dunga Girl como personal stylist? Hehehe...

Flaviapm said...

Alessandra,

A Malu VAI torcer para o Brasil porque a mãe dela nasceu no Brasil e porque o Brasil é pentacapeão mundial e Portugal, por enquanto, é só vice-campeão Europeu!!!! Vamos ver até quando o Felipão fica por aqui e o que ele consegue...
Além disso, as cores do Brasil são mais bonitas que a de Portugal, se formos falar em moda novamente!!!!
Só uma correcção, as listas da camisa do Dunga eram verticais e não horizontais (prá variar não li o texto antes de enviar)
;-)
Beijinhos para os três.

Alessandra Alves said...

joana: esse riso é de alegria, tristeza ou desespero? beijo da dinda!

herik: putz, o bolinha! eu lembro que ele tinha umas orelhas enormes e usava umas camisas de tanto mau gosto quanto. mas, tanto bolinha quanto chacrinha dispunham de algo que falta irrevogavelmente ao dunga - senso de humor.

jonny´o: entendi, mas vem cá... então, futebol feminino, com você, sem chance?

marcio gaspar: muito bem lembrada a fisionomia do dunga ao erguer a taça. não tinha a alegria serena de outros capitães, era essa raiva mesmo. concordo com tudo o que você disse. truculência, matar a jogada são coisas que me causam o mesmo desprezo, e dunga personificou muito isso. será esta a razão de ele querer surgir fashion agora, como se por trás daquela figura embrutecida morasse um ser de gostos refinados? se for, não tá dando certo, né?

quanto às perspectivas profissionais da dunga girl, acho que a carreira dela acabou antes de começar, né? se o pai é o dunga, quem seria a moça nesse conto de fadas? branca de neve, a madrasta (maldade...)? quanto a ela, não sei, mas da minha parte, em relação ao futebol jogado, visto sem pensar a fantasia do zangado.

flavia paluelo marques: você diz isso porque sabe que a malu não tem idade para se apaixonar pelo cristiano ronaldo. ô coisinha linda...

Anonymous said...

Só se eu for o preparador fisico.
(Jonny'O)

Paula Pacheco said...

Impagável, Ale. Simplesmente perfeita, no melhor estilo "Como não fui eu que escrevi?"

Beijo