Monday, September 24, 2007

Carro, moto, estrada... música!


.
Toninho Horta é um dos músicos brasileiros mais prestigiados no exterior. Mineiro, habitualmente identificado à turma do Clube da Esquina, Toninho é um excelente guitarrista, desenvolveu sólida carreira nos Estados Unidos, chegando a tocar com grandes nomes do jazz. Acabou muito ligado a outro guitarrista de primeira grandeza, o norte-americano Pat Metheny. É até difícil dizer quem influenciou quem. Ouvindo Toninho, você identifica toques de Pat. Ouvindo Pat, fraseados de Toninho claramente se sobressaem.

Ele é autor do clássico "Beijo Partido", gravado por Milton Nascimento e Nana Caymmi, entre outros.

É, também, autor de músicas dedicadas a temas pouco usuais. Uma de suas mais belas canções, "Diana", não tem nada a ver com a deusa mitológica da guerra nem com a musa que inspirou Paul Anka. É, na verdade, uma delicada homenagem póstuma a sua cachorrinha de estimação.

Se homenageou a cachorra, por que não fazer o mesmo com... seu carro?

Ou melhor, com seu jipe. Foi assim que Toninho perpetrou uma de suas mais belas composições, "Manuel, o Audaz". Um jipe pau-pra-toda-obra, que não escolhe terreno, que engole o pó da estrada sem se abalar.

Pensando bem, até que Toninho não foi tão pouco usual assim. Fazer música para carro, moto, estrada, trânsito e tudo mais associado ao tema "mobilidade" tem sido uma constante na música popular.

Roberto Carlos, com sua boa vida de playboy, adorava o tema. Em seus primórdios, cantou "O calhambeque", mas seguiu fazendo músicas sobre carros e velocidade, e até enfiando o tema em meras canções de amor. É o caso, por exemplo, da hoje proscrita "Quero que vá tudo pro inferno", no verso "se entro no meu carro e a solidão me dói". Consta até que surgiu piadinha infame na época: - Como é o nome da bunda do Roberto Carlos? - Solidão!

O ex-Rei cantou "por isso corro demais", "as curvas da estrada de Santos", inspirando outros a fechar a porta, sentar a bota e seguir em frente. Os Mutantes também gostavam de uma biela subindo e descendo. Cantaram "Dune Buggy", aquele com mais de 1.000 hp, além da clássica "Algo mais", na verdade um jingle composto para a Shell que convidava a juventude a dar a partida e acelerar a vida. Inspiradíssimo no possante de Rita Lee, Jorge Ben(jor) compôs "Rita Jeep", revelando ao mundo o que os íntimos já sabiam, que aquela sujeita era um barato.

Anos mais tarde, um dos maiores sucessos bregas de todos os tempos, "Fuscão Preto", contava uma triste história de corno. Já nos 80´s, os Paralamas do Sucesso clamavam pelo alto astral das duas rodas, em "Vital e sua moto".

Vixe!

Acho que, depois de mulher, amor e traição, carro, moto e estrada talvez sejam os tema mais recorrente das canções.

Quem lembra de outras?

20 comments:

Anonymous said...

Alessandra, valeu o texto, muito legal, tem mais uma que eu lembrei, aquela música dos Mamonas que falava de uma Brasilia amarela, lembro porque já tive uma, igualzinha. Valeu! Ed/Bsb.

Gustavo Miglia said...

Pat mereceria um post só para ele, que ambiente ele consegue criar com sua música meu Deus, as vezes etéreo, as vezes como uma verdadeira fauna de sons.....só ouvindo para tentar compreender e construir os vastos mundos interiores da sua música....

Gustavo Alves said...

Brou,

Tem o Skowa com: "automóvel, atropelamento e fuga". Lembra em Itanhaém?
HAHAHAHAHA

Ico (Luis Fernando Ramos) said...

Bom, das gringas, tem as óbvias como "Born to be Wild", "Mercedes Benz", etc.

Mas a mais linda de todas é "Long May You Run", do Neil Young:
"With your chrome heart shining in the sun/Long may you run".

Genial!

Ron Groo said...

É uma brasa mora! O Ex rei também cometeu uma versão legal de uma canção americana que não me lembro o nome, mas que nas 'robertinianas' tornou-se "Lobo Mau": '...no meu carro por ai a rodar' E ele jogava a rede em qualquer lugar... Lembra?
E o que dizer de "Mustang Sally" uma canção gravada por um zilhão de interpretes mas que eu gosto mesmo é com os Committiments.
OH! "Terraplane blues" do bruxo Robert Jhonson. Ele compara sua esposa ao seu velho Terraplane e pergunta: 'Quem andou dirigindo meu terraplane enquanto estive fora?'
Ah sim... o Queen em "I´m love with my car." Aquela do: 'cars don´t talck back'
Ah e o Wilson Simonal cantando "Mustang cor de sangue", saca: 'A industria automobilistica não quer que eu seja fiel, na vitrine um Corcel cor de mel'.
Acho que só lembro destas, fora as que você já tinha lembrado.
Você já respondeu a enquete em meu blog?
Abraços

Ron Groo said...

Ah, e eu esqueci, por isto voltei, talvez a mais bonita e importante seja aquela do Arnaldo Baptista, "Raio de Sol", que ele gravou no disco "Elo Perdido", lá ele canta: 'Estou indo pro sul de carona, puxa se eu tivesse a moto..."
Quantas vezes, não sei se por conta da poesia da letra, da levada rock contagiante, ao ouvir esta musica eu pude sentir o vento no rosto...

Celinho Boy said...

Alessandra, me lembrei daquela música de RC chamada 120, 150 200 Km por hora, que em 1999 foi regravada por Leonardo. Nunca ouvi a versão original. O que me chama a atenção da música é que ela é recitada até "eu vou, voando pela vida, e não onde vou chegar...". e a aquela "ele é o bom" (meu carro é vermelho, eu não uso espelho para me pentear..) sabe onde ouvi esta música pela primeira vez? numa propaganda de 1994 do gran prix, aquela cera de carro(me deu um aperto no peito, pois eles ilustravam algumas cenas com desenhos da hanna barbera, que rarearam na tv brasileira nos anos 90). de momento é isso. bjs alessandra

Alessandra Alves said...

ed: inesquecível a brasília amarela!

gustavo miglia: você tem toda razão. pat merece mais. prometo dar maior atenção a esse músico genial em breve.

gustavo: engraçadinho... (ao som dessa música, meu irmão e os anjinhos dos meus primos me submetiam a uma sessão impiedosa de boladas na praia. pobre de mim!)

ico: você sempre acrescentando um toque de sofisticação às nossas reminiscências...

ron groo: tem também "drive my car", dos beatles. e a referência do arnaldo à moto era muito real, porque ele fez de fato uma viagem pela américa latina a bordo da sua. uma coisa meio "diários de motocicleta", sem revolução e sem asma.

celinho: eu me lembro bem dessa propaganda. curioso é que meu filho, de sete anos, conheceu "o bom" em uma paródia, daquelas charges animadas, com barrichello cantando: "meu carro é vermelho, mas um pentelho tem o caro igual/ o cara só ganha, e quando eu perco a turma fala mal". quando descobriu que aquela música não era originalmente assim, ele ficou até meio desapontado.

Teo said...

Ale, como sempre, suas referências musicais são geniais.

Minha contribuição fica por conta da banda que além de ter algumas músicas sobre carros, estradas, batidas policiais, etc., tem também um potente muscle car como símbolo: o power trio barbudo ZZ Top.

Mais do que isso, fazem um belo Rock & Roll, perfeito para acelerar. Acho que deve entrar na sua lista também!

Abraços,


Teo

Caíque. said...

Alessandra,
O mais legal é em alguns bares, com Voz e Violão, ver alguns ou algumas, cantando Manuel Audaz como se se referisse a um homem. É engraçado porque poucos sabem que se tratava de um Jipe.

Caíque. said...

O Deep Purple também tem uma musica própria para descer a mamona do pedal da direita. Acho que é Speed King.

Diego said...

Como rockeiro, a primeira que me vem na cabeça é: Highway to Hell do AC/DC.


Sem sinais de "pare", sem limites de velocidade
Ninguém vai me fazer reduzir a velocidade
Como uma roda, vou rodar
Ninguém vai me sacanear
Ei Satã, paguei minhas dívidas
Tocando em uma banda de rock
Ei mamãe, olhe para mim
Estou no meu do caminho para a terra prometida

Estou na auto-estrada para o inferno
Não me pare

Saco de Gatos said...

Alessandra, o Jamiroquai fez o clipe de "Cosmic Girl" pisando fundo em um de seus carros de sua "modesta" coleção: um Lamborghini.
Vídeos com carros também valem?

Ah... teve o Robbie Williams travestido de piloto dos anos 60 na música "Supreme".

Celinho Boy said...

Alessandra, muito de nós crianças nos desapontamos quando descobrimos que aquela música não era aquilo que pensávamos. Sabe, isso me fez lembrar aquela propaganda da Coca-Cola em tom dançante que tinha trechos de águas de março de tom jobim. Teve até polêmica na época(1988), depois descobri que aquela propaganda tinha se inspirado na música do tom. Por falar por estrada, me lembrei duma "sertaneja": "a estrada da vida", uma coisa assim, com o milionário e josé rico."nesta longa estrada da vida, vou correndo e não posso parar, na esperança de ser campeão, na esperança de ser o primeiro lugar"
por falar em toninho horta, ele vai estar no Ensaio da TV Cultura, nesta quinta, às 21h. Beijos

Gabriel Souza said...

Bom, as músicas das quais me lembro são:

Metallica - Fuel
Deep Purple - Highway Star

Agora só lembrei destas...

Caíque said...

Gabriel,

É isso mesmo Highway Star e nãoSpeed King como escrevi.

Ico (Luis Fernando Ramos) said...

Já que o Mattar lembrou do Jamiroquai, indispensável em qualquer lista é a música com o sugestivo nome de "Travelling without moving", que comeca com o som de uma Ferrari.

Edu said...

Tem algumas canções pro Chevette..

Tem Chevette - Audio Adrenaline... E tem de uma banda canadense, em francês... Era alguma coisa como "Che dans ma Chevette" (a tradução era "chegando em meu chevette").

Tem o "Chevette velho do meu velho"... Esqueci de quem era. Tem mais um forró e uma banda gaúcha que tem uma música sobre o carro. Depois de música de corno acho que o tema Chevette é um dos mais abordados da história.

Edu said...

aha! Achei a canção em francês:

É "Vien dans ma Chevette"!

http://www.crampeenmasse.com/albums/paroles/04_viens_dans_ma_chevette.html

Antonio said...

"409" - Beach Boys
"Helen Wheels" - Wings
"Driving My Car" - Madness