Thursday, March 15, 2007

Clássico na Vila

.
Nos últimos dias, a principal discussão do futebol paulista girou em torno dos clássicos na Vila Belmiro. O Santos, é claro, quer jogar eventuais clássicos da final do Paulistão em seu estádio. O São Paulo, é óbvio, não quer. Um blá-blá-blá interminável sobre condições do estádio, segurança dentro e fora dele. (Longo bocejo).

Enquanto isso, com a bola rolando, alheios ao nhém-nhém-nhém dos bastidores, os jogadores jogam. E os bons jogadores nos enchem os olhos. O terceiro gol do Santos ontem, pela Libertadores, contra o argentino Gimnasia y Esgrima, não foi propriamente um gol. Foi uma obra de arte. O autor: Zé Roberto.

Ele não perguntou a ninguém se pode ou não ter clássico na Vila. Foi lá e fez um. Um gol clássico, no sentido da perfeição de um Michelangelo. Sim, pode ter clássico na Vila.

8 comments:

Alessandra Alves said...

um registro: desde o gol de placa de Marcelinho Carioca, jogando pelo Corithians, contra o Santos, a Vila não assistia a um gol tão bonito.

(desculpem, santistas, mas é uma no cravo e uma na ferradura, não posso me render assim, tão fácil e incondicionalmente...)

valéria mello said...

Belíssimo o gol do Zé Roberto. Enquanto isso, que coisa grotesca o Corinthians jogando com o Treze, hein? Quando será que tempos melhores virão para o Timão?

celsovedovato said...

Perfeito Alessandra!!! Já pensou se nesse mundo de meu Deus-rs, 1 em cada 10 pessoas agissem, ao invés de perder tempo com palavras. Atitudes boas obviamente.
Perfeito mais uma vez Alessandra!!! Muito bem lembrado o golaço do Marcelinho Insuportável Carioca. Vai Corinthians!( mas longe desses marcelinhos-bla bla bla- da vida, por favor)

Mario Lago said...

alessandra: golassso!!! assim mesmo, com três ésses acentuados. e o neguinho (no sentido politicamente correto), ainda por cima, vestia a '10'.
no cravo: eu, que quase fui expulso do prédio da fpf por ter literal, expressa e textualmente, com todas as letras, 'insinuado' que, "em tese", 'aquela época', por lá habitaria o que vulgarmente denominei corja -acho que não fui pois, "em tese", acho que deveria estar certo-, sou hoje obrigado a concordar com a cartolagem, pois hoje em dia, concentrar em espaço reduzido massa tão violenta quanto as organizadas é certeza de confusão, estupidez, prejuízo material e violência, muita violência.
na ferradura: além do quê, temos o moruntri, né mesmo?
lá, na vip (que não sou mas vou), tem até pizza!!!!

Anonymous said...

Perfeito, um belo gol o do Marcelinho é claro!
Por falar em Vila ,quem gosta de ver imagens de estadios de futebol,uma boa dica é o site Templos do Futebol.
Tem todos os estadios brasileiros inclusive fotos dos que já foram demolidos,vale a pena!

Jonny'O

Alessandra Alves said...

valéria: confesso, eu dormi vendo o jogo do corinthians! quando acordei, o locutor estava terminando a transmissão.

celso: aquele gol é tão inesquecível que ganhou uma placa do pelé, lembra?

mario: eu não tenho dúvidas de que é temerário fazer um clássico em um estádio pequeno, o que me apoquenta é essa discussão interminável sobre as adjacências do futebol, enquanto o futebol mesmo acaba sendo o menos comentado.

jonny´o: boa dica! obrigada.

Cynthia said...

Golaço mesmo... E eu sofrendo pelo Corinthians, mas à distância, porque dormi no jogo também...

Só para mencionar: o gol do goleiro do Sevilha, de cabeça. Nunca dá certo, mas quando dá...

mario lago said...

alessandra, vc tem razão. também eu, involuntariamente, acredite, tomei o rumo errado na prosa ao deixar de lado a plasticidade do lance, essência do post, pelas mazelas da periferia do esporte futebol. perdão, portanto.