Sunday, June 07, 2009

Quente ou frio?


O GP da Turquia de 2009 trouxe algumas novidades. Depois de três vitórias consecutivas de Felipe Massa (2006, 2007 e 2008), desta vez a Ferrari do brasileiro não deu nem pro cheiro. Outra: foi a primeira vez que o pole não venceu no circuito de Istambul. Jenson Button, que largou em segundo, beneficiou-se do erro do alemão Sebastian Vettel, que largou em primeiro e errou ainda na primeia volta, literalmente abrindo caminho para o líder do campeonato.

Por isso - o erro de Vettel e o surpreendente péssimo desempenho da Brawn de Rubens Barrichello também na largada - a liderança do GP da Turquia praticamente esteve nas mãos de Button durante toda a prova.

Por isso, para mim, foi uma prova morna. O único suspense pairou quanto à capacidade (ou não) de Vettel alcançar Button e ultrapassá-lo de volta. Venceu o não. Vettel optou por uma estratégia com três paradas e acabou atrás de Button e ainda do companheiro Mark Webber.

Mas, sei lá...

Teve a luta de Barrichello para tentar se recuperar.

Teve a disputa de Barrichello com Kovalainen, com rodada do brasileiro.

Teve a batida de Barrichello com uma Force India.

E, sobretudo, teve a bela disputa entre Lewis Hamilton e Nelson Piquet, culminando com uma ultrapassagem sensacional do brasileiro sobre o inglês. Sensacional mesmo, de fazer o velho Piquet se encher de orgulho pelo pimpolho. Pena que não valia nada. Os dois, um McLaren e um Renault, se engalfinhavam por uma inexpressiva 13ª posição.

De repente, nem foi uma corrida tão morna assim. E você, o que achou?

5 comments:

Mandy said...

Não sei se é o sono, mas na hora em que comecei a ler o texto, não pude deixar de pensar que este GP foi meio paradoxal: o que quebrou tradições (o reinado de Massa na pista e o fato de o pole sempre vencer em Istambul) e trouxe novidades para esta corrida foi exatamente algo que, nesta temporada, está totalmente dentro da normalidade _e, convenhamos, já está se tornando enfadonho.

Ron Groo said...

Tem razão, encheria mesmo papai Piquet de orgulho, até mesmo por não valer nada, pelo puro prazer de competir e de superar um adversário.
Foi o melhor lance da corrida e eu me atrevo dizer do ano.
Adorei.

Rafael said...

Concordo 100% com vc, alessandra.

Nervoso Descansado said...

Eu achei que os pegas deram uma requentada bacana num prato frio. Essa história de proibir os testes privados durante a temporada matou a competitividade que vimos em 2007 e 2008. O carro da Brawn nasceu muito bom e ninguém pode fazer muito para correr atrás. O campeonato já acabou e estamos na torcida para a briga do nazistão contra a Fota não bagunçar a F1 de vez.

Anonymous said...

Não fiz conta nenhuma ,mas acho que neste GP houve um bom numero de ultrapassagens .

O problema é que querem uma F1 como Nascar ou IRL ,isso nunca vai acontecer.

E este ano por ter um novo regulamento técnico era mesmo esperado que uma equipe dominasse o campeonato ,sempre foi assim quando se tem uma grande mudança .

Acho que se um telespectador de hoje assistir um GP de 1980 vai dormir na cadeira ,principalmente se for um daqueles GPs onde Alan Jones ganhava de ponta a ponta .

Os dois últimos campeonatos foram emocionantes e equilibrados e de um modo geral a turma sempre reclamava das corridas .

Jonny'O