Monday, June 12, 2006

Todos, menos você

A imprensa espanhola, habitualmente venenosa, foi quem primeiro falou. Daí o mundo todo falou e a questão virou tema de segurança nacional. Ronaldo está gordo. Seguiram-se todas as variações possíveis da afirmação. Ronaldo está gordo? Ronaldo não está gordo, está fora de forma. Ronaldo pode até estar gordo, mas mesmo gordo é imprescindível. Ronaldo está gordo e não merece ser titular, que brigue com Robinho pela vaga.

Enquanto o mundo falava e debatia a adiposidade (ou não) de Ronaldo, o copo foi se enchendo. A gota fatal parece ter sido pingada pelo presidente, em quem o camisa nove entrou de carrinho com as duas chuteiras, travas altas de metal.

- Dizem que estou gordo, o que não é verdade. Dizem que ele bebe pra caramba, que também não deve ser verdade.

(Antes de prosseguir, quero deixar claro que não acredito em um suspiro de espontaneidade em eventos como aquela teleconferência entre o presidente e a seleção. Tenho convicção de que tudo é programado, que as perguntas são conhecidas antes, um teatrinho bem armado, o que me leva a concluir que a tal pergunta do presidente sobre o físico de rolha do centroavante não era surpresa, pelo contrário, uma bela levantada de bola para Parreira entrar e dizer que Ronaldo está pronto, acima do peso ou não é nosso homem de confiança, aquela papagaiada toda.)

Mas o que ficou para o público e para a história foi a resposta mal-educada do jogador. Uma leitura possível da reação desmedida do atacante: agora, chega. Todo mundo falou, eu engoli, mas vou aproveitar que não é qualquer um que está falando, mas o presidente, e vou responder à altura. Depois que se manda o presidente do país calar a boca, quem vai falar mais alguma coisa?

Outras leituras possíveis? Várias.

- Escuta aqui, meu compadre. Você é chamado de chefe da quadrilha, não tem estudo, tem fama de pinguço, já te botaram na capa da revista com um pé na bunda e vem perguntar se eu estou gordo?

Ou então, será que não?

- Presidente, se liga, não vem apontar o dedo para mim, não. Sou como você. Nós dois somos filhos de gente pobre, não fizemos faculdade, por pouco não viramos marginais, mas nos demos muito bem na vida, ao contrário do que se espera de gente pobre e sem estudo.

No fundo, a pergunta impertinente de Lula e a resposta destemperada de Ronaldo me soaram como um duelo entre iguais.

20 comments:

Alessandra Alves said...

daí, sábado à noite, vem a fada bernardes com sua voz doce, seu sorriso meigo e seu arsenal de câmeras fazer perguntas exclusivas ao craque.

oba, a ingênua aqui pensou: ela vai repercutir o presidente.

como se a tarefa da fada e da empresa que a emprega não fosse a de botar panos quentes depois dos chumbos trocados.

que repercussão que nada!

a exclusiva da fada bernardes foi um fenômeno. ficamos sabendo (oh!) que a mãe do nove mandou que ele tomasse chá para curar a gripe. e que ele (oh!) não tomou.

o cabra não obedece nem a mãe, alguém acha que ele vai ajudar na marcação?!

Scott McLean said...

Hi, I read you are a journalist. That's great. Wish I could read your site. Take care.

Alessandra Alves said...

ah, e algo importante, digno de menção: depois da patada atômica do fenômeno, o presidente mandou um fax (coisa antiga, né?), para esclarecer o mal-entendido, dizendo que não quis ofender e tal e coisa.

quer dizer, foi falta de educação do ronaldo? para mim, foi. mas ele talvez tenha apenas aproveitado a oportunidade para pedir um pouco de respeito ao mundo.

e foi impertinente a pergunta do presidente? para mim, foi impertinente e dispensável, mas continuo não acreditando que tenha sido surpresa. mandando o fax para encerrar o assunto, ele me deu mais uma demonstração de transparência e maturidade. errei, não era a intenção, desculpe-me. não é todo mundo que faz isso, né?

Daniel Carlos Nava said...

Apenas um comentário. Gordo ou não, o Ronaldo é titular do meu time. Alguns lances dele parece que está levando a bola na força. Mas se você olhar atentamente vê que o cara é um fenômeno mesmo. Tem um lance do jogo Brasil3x1Argentina nas eliminatórias em que ele passa por três que retrata o que estou dizendo.

Brasil Hexa, Argentina Vice!!!!!

kowalski said...

Concordo. O episódio era totalmente dispensável.
E a rede Globo sempre tentando mostrar um mundo de fantasia para seus telespectadores, um tati bitati, como se subestimassem a inteligencia do brasileiro comum, tratando-o como um Homer Simpson. Por isso que já não assisto mais esse canal, só F1, pois ninguém mais mostra.

Agora, que ele tá gordo tá.

Pedro Alexandre Sanches said...

alessandra, duelo entre iguais, eu também acho. inclusive porque ambos trabalham feito camelos em prol de algum ideal maluco de "nação" e se investem (e/ou são investidos por nós?) de uma aura de "predestinados", dos quais nós, os "destinatários", não admitimos nenhum resultado que não seja a goleada utópica - se não vier essa, dá-lhe crítica, intolerância, xingo, tomate, ovo podre, agressão, violência...

numa dessas, esse diálogo meio "errado" libera os dois pra desabafar um tiquinho assim que seja, né?...

mario lago said...

- dona alessandra, boa tarde! cara senhora, é perfeita, precisa, completa, brilhante, sensacional, verdadeira, sutil, não, sutil não, direta, a opção de leitura: "escuta aqui meu compadre...pinguço...quadrilha...péna bunda..."
- independente da situação adiposa de ronaldo, quem sabemos, está longe, anos luz, de ser comparado a um lord inglês, fosse o chefe do executivo alguém com envergadura moral inatacável -tal qual achávamos-, o menino não haveria respondido de forma tão grosseira, tão desrespeitosa. faltaria coragem e sobraria respeito, até mesmo reverência ao líder (honesto) da nação.
- lembra-se(?)da célebre frase sobre o congresso: "em casa de tolerância não existe mulher donzela".... pois bem, por analogia serve a lula, já que ninguém mais fora do séquito do pt -e suas viúvas- o respeitará como virgem intocada nas mazelas e falcratuas do planalto central e arredores da política...
- agora, quanto ao fax, com todo respeito a opinião adversa, especialmente a sua, dona do espaço e sempre ponderada, além de gentil e educada com seus leitores, acreditar que o tal fax foi reconhecimento do erro me parece ingênuo. posso eu agora parecer maldoso, o que não pretendia, mas acredito, sinceramente, que foi protocolo puro, com um batalhão, centenas de aspones tentando amenizar mais um estrago verbal do chefe, que sem script e ponto eletrônico só fala..........
- e falar isso, contra o nove da nação, em ano de eleição...hummm! sei não!!! e se o time traz o hexa e o ronaldo, via jornal nacional, ainda do avião, se recusar a ir a brasilia para o beija mão por haver se sentido, supostamente, ofendido...
- não é a massa que dá indices tão altos de reeleição a mesma que atribui a ronaldos e cia o status de idolos, de heróis e coisas que o valham?????
-hé! hé! hé! e ai, como e que fica???

Erica Machado said...

É verdade, o Ronaldo se excedeu ao revidar a tal ofensa que sofreu, afinal o presidente só estava "especulando" sobre algo já na boca de todos. Mas convenhemos, ninguém gosta de ser chamado de gordo, sendo um ou não sendo. Talvez doa muito mais do que qualquer outra ofensa hoje em dia. É ou não é? Acho que pro Ronaldo aquela foi a última gota d´água e por isso o excesso. Por isso, relevei a história.rss

L-A. Pandini said...

Só para lembrar:

- Em 1982, a seleção não foi campeã. A oposição ganhou a eleição estadual nos estados mais importantes, mas o governo militar fez maioria no Congresso.

- Em 1986, a seleção não foi campeã. Mesmo assim, o PMDB, então partido governista, ganhou em 22 dos 23 estados em disputa.

- Em 1990, a seleção não foi campeã. Mas aí o presidente era o Collor, do nanico PRN e já à beira do abismo (o que viria depois seria apenas o passo à frente). Seria surpreendente se o governo ganhasse alguma coisa.

- Em 1994, seleção campeã e o candidato do Itamar era FHC, que venceu a eleição. Logo depois, Itamar arrependeu-se de ter lançado e apoiado FHC.

- Em 1998, o Brasil perdeu do jeito que todos sabem. Mesmo assim, FHC foi reeleito.

- Em 2002, o Brasil ganhou, mas o candidato de FHC não. Deu oposição.

Moral da história: achar que vitórias da Seleção levam necessariamente a vitórias governistas, ou que derrotas levam a vitórias da oposição, é delírio total.

Mesmo assim, a direita está agora torcendo contra a Seleção por achar que isso vai beneficiar o Lula... Diante disso, tomei uma decisão importante: pela primeira vez desde 1982, vou torcer a favor do Brasil em uma Copa do Mundo!

O quê? Ver os jogos? Aí já é pedir demais, camarada.

Alessandra Alves said...

daniel: quem viver verá. daqui uns sete, oito anos, no ocaso da carreira, em algum momento, algum órgão de imprensa vai dizer que ronaldo, o fenômeno, virá jogar no corinthians. não virá, claro. mas já ouvimos isso tantas vezes que não duvido.

kowalski: (stanley?) o problema do mundo de faz de conta das TVs, destaque maior para a globo por sua prelavência na audiência, é que a decepção costuma ser proporcional ao oba-oba inicial. tudo bem, o brasil é favorito, rumo ao hexa, ruas enfeitadas, carros adornados etc., mas nós sabemos o outro lado da moeda, quando o final da história não tem príncipe encantado nem beijo apaixonado, mas uma bruxa fantasiada, por exemplo, de seleção francesa, com um dragão enfurecido chamado zinedine zidane.

no último domingo, terminando uma prova de 6,6 km, lembrei da final da copa de 94. na chegada dessas corridas de que participo, é comum colocarem músicas "de vitória" no alto-falante próximo à linha de chegada. obviamente, o tã-tã-tã da vitória do senna está sempre lá. e eu pensei que a globo tocar essa música, depois daquela cobrança de pênaltis contra a itália, foi provavelmente a maior covardia que vi na vida.

pedro: a fada bernardes usou essa mesma expressão na entrevista de sábado à noite, no jornal dos simpsons - "predestinado". perguntou se ele era um "predestinado". oh, lord... como se alimentam mitos... mas tem um tema tããããããão palpitante para mim, relacionado a ronaldo e... ele mesmo, marcelo d2. eu tô tão a fim de comentar o fato de o ronaldo ter encomendado uma música/homenagem ao d2... a sua matéria na carta capital, como sempre, generosamente foi tão sutil, tão aberta à própria interpretação do leitor, mas dá uma coceguinha... dá uma vontade de falar: "pô, o cara precisa pagar para alguém homenageá-lo em música? isso é bem coisa de novo rico, mesmo", mas daí uma outra vozinha, aqui no fundo, sussurra no meu ouvido. "e por que não? porque os ricos bem nascidos podem contratar os artistas para abrilhantar suas festas de casamento e bailes de debutantes de suas filhas e o ronaldo não? por que as empresas podem contratar shows de artistas classe AAA para seus eventos corporativos e o ronaldo não?" pode ou não pode? vai pro trono ou não vai?

- mario: eu realmente não sei se a motivação do ronaldo para pegar o presidente "abaixo da medalinha" foi a esculhambação geral da mídia em relação ao lula. deve ter sido. mas daiíentramos quase num enigma tostiniano: a mídia avacalha o presidente porque ele "não se dá ao respeito" ou é ela que não tem respeito pelo presidente, a priori, e por isso o avacalha? um instante, maestro! se não há donzelas nessa história, há que se considerar que o presidente anterior também não goza virgindade nos temas parlamentares, donde se pode concluir que também ele conhecia o desagradável assunto "compra de votos para a emenda da reeleição". e, no entanto, não vi revista nenhuma chamá-lo de ali babá. desculpe, amigo, sei que discordamos frontalmente nesse aspecto, mas localizo no tratamento dado pela mídia, a um e outro, grande, enorme diferença.

quanto ao fax: pode ser ingenuidade minha, mas acho que prefiro conservá-la. o mundo já tem tanta maldade... mas eu duvido que, na possibilidade de uma recepção do presidente à seleção (toc-toc-toc) campeã, falte o camisa 9. não seria só desfeita com o presidente, mas com a delegação toda, e ronaldo é muito próximo de parreira (consta até que são sócios). acho que ele não faria isso.

erica: concordo inteiramente com a sua colocação. eu, inclusive, defendo que "gordo(a)" é a pior ofensa que existe. filho da p... é um xingamento social. o cara te dá uma fechada, você solta um "filho da p...", vira a esquina e vai embora. nem conhece a mãe do fulano, não lhe adivinha as práticas de alcova. mas chamar de "gordo" é sacar dele uma característica física desvalorizadíssima, principalmente entre mulheres e entre pessoas cuja profissão depende do físico (atletas entre elas). mas é aquilo que você falou: o presidente repetiu (e em forma de pergunta! não afirmou!) o drama ronaldo x gordura. levou a porrada.

luiz alberto: bem lembradas as seqüências de 82 para cá. mas indibutavelmente, as ditaduras militares de aproveitaram do ufanismo nacionalista em pelo menos duas ocasiões. o brasil em 1970 e a argentina, em 1978. nos dois casos, sem possibilidade de mensurar o efeito das vitórias no campo em relação a vitórias nas urnas, pois se eram ditaduras, não havia urnas...

eu sinceramente temo sua torcida pelo brasil, mas acho que existe uma outra razão para seu engajamento atual. essa razão tem seis anos, 1,20 m e 25 kg, estou certa?

Pedro Alexandre Sanches said...

ai, Alessandra (obrigado pelos elogios!!!)... nem sei responder às dúvidas que você suscitou sobre a encomenda do Ronaldo ao Marcelo D2, mas confesso aqui algo que não me cabia confessar na reportagem: eu achei o "Sou Ronaldo" sensacional, um passo adiante no ufanismo tipo Jorge Ben, misturado com o anti-ufanismo tipo MV Bill... não gosto da história da encomenda, provavelmente não gosterei do uso "simpsonizante" que a Globo deve vir a fazer (será?) da música, mas... gosto da música, à beça... e, a partir daí, os "julgamentos" (alô, seu juiz!) ficam todos confusos e embaralhados...

sigo concordando com a tua leitura sobre Ronaldo e Lula como iguais, inclusive nas implicações políticas que apareceram em seguida - mais adiante, o pai do Ronaldo declarou voto entusiasmado no lula, e disse que o próprio Ronaldo votará também (mas isso ninguém repercutiu, porque não serve aos deveres, er, "patrióticos" da mídia, né?). e o senso comum já saiu gritando ("goool!") que Lula e Ronaldo trocaram ofensas, mas eu acho mais é que, como a Erica falou, o Lula falou o que todo mundo se acha no direito de falar (e fala, ofendendo quantos "gordos" e "bêbados" estiverem ao redor) à boca pequena (ou grande) - aliás, o que tem de ladrão por aí chamando os outros de ladrão não é brincadeira, não, né?...

depois, na resposta do Ronaldo, se percebeu muito a suposta agressão (ora, mas se o presidente não é nenhum magricela, eu poderia entender que o "fenômeno" talvez não seja tampouco a mais abstêmia das criaturas?), e muito pouco o pedido de respeito do jogador. Ele falou literalmente "imprensa, pára de falar bobagem", "me respeita, eu perdi uma Copa porque estava mal e ganhei outra e mereço respeito"... Pra mim, no "choque" ali com o Lula, Ronaldo foi é extremamente inteligente em usar nada menos que o chefe de Estado da nação (tããããão "patriótica") brasileira para exigir (e oferecer) respeito - no final, vi muito mais um diálogo (quase) respeitoso, entre iguais, do que isso aí que a mídia santinha do pau oco pintou sem parar desde então.

Putz (Alessandra, quem manda ficar me instigando a ter opinião sobre Lula x Ronaldo?, haha), mas se isso tudo aí indicar que o Ronaldo [Lula] [Brasil] está aprendendo a se defender um pouquinho melhor das agressões que sofre o tempo inteiro ["traga a taça, energúmeno!, senão vamos te apedrejar em praça pública! - aliás, vamos te chicoteando desde já!, pra ver se você, seu vagabundo!, funciona melhor aí na sua reles jumentice de trazedor de títulos para esse país miserável que só se orgulha de si na hora do gol!" - é o caos esse tipo de postura, nénão?]... se ele(s) estiver(em) aprendendo isso, um pouquinho que seja, prevejo um futuro incrível para o Brasil - ganhe ou perca a Copa 2006, essa parte tanto faz...

mario lago said...

- alguém por aqui já se sentiu um menino que acabara de aprontar mais uma de suas diabruras e que, na última, infelizmente, fora pego?... o gosto é agridoce...a temperatura é gélida...a sensação indescritível... tensa talvez.
- até gosto da polêmica, mas, geralmente, apenas antes de colher seus resultados...
- pela cabeça, agora, me vem o pensamento de que isto é exatamente coisa de tucano. primeiro bica e depois, na maior parte das vezes -se não sempre-, vai para cima do muro... pode ser! sei lá!
- seja como for, acredito, que o delírio da previsão, especificamente, resida na utopia da campanha e não na realidade do resultado. este poderá ser qualquer um. contudo, na disputa o que vale é o pragmatismo de resultados, o cálculo passo a passo, foto a foto, verbo a verbo, não há dúvidas sobre isso. o cacife para o jogo (campanha) não é pequeno, está na casa dos milhões. o prêmio, além da grana, é o poder, e com este a grana vai a casa dos bilhões, seja qual for a moeda. não é o que quero para mim, mas é o que vejo no cenário que se apresenta ano após ano.
- já que certamente de boa fé, mantenhamos todos a ingenuidade. o princípio vale a pena. e que assim somem-se novos torcedores, principalmente os ansiosos por deixar as próximas gerações um país vitorioso, que valha a pena em todos os sentidos, não apenas no futebol...
- se bem me recordo do post sobre evo... último ato: apaga-se a luz sobre este(eu!) pobre coitado...

kowalski said...

Stanley com certeza. Um dos melhores filmes que já vi.
Continue correndo. Eu também dou meus piques aqui pelas ciclovias do Rio.
É incrível como eles transformam a conquista numa questão de honra nacional, quando todos nós sabemos que se ganharmos, o dia seguinte será igual ao que já é. Não vai diminuir o desemprego, a economia não vai crescer mais do que já cresce, não vai melhorar a divisão de renda. E se perder também não é o fim do mundo. É só um jogo.

PS: Acho que a dúvida do presidente era pertinente, pois acabei de assistir a esse joguinho sem vergonha Bra 1 X 0 Cro, e o Ronaldo não jogou nada.

Gustavo Migliavacca said...

O Ronaldo também convenhamos....o cara vive 15 anos na Europa suportando tudo que é pressão possível e vem com uma resposta mal-educada dessas? Vai amadurecer um pouco, aliás, conhecendo o mundo um número ímpar de vezes, tendo oportunidade de aprender e aprender (99% dos brasileiros não tem essa chance), através de uma infinidade de exemplos em cada lugar que ele passa, ele dá uma pisada no tomate dessa maneira. O presidente foi igênuo claro ao seguir a opinião corrente do povo (mídia?) em geral, ele poderia ter se poupado dessa prevendo que a imprensa iria criar um lindo presépio dessa situação toda. Mas, de todo modo, na reportagem editaram a pergunta de Lula, a introdução antes desta não mostraram.....ÊÊÊÊÊ busca pelo ibope!!! Bom, se o Ronaldo não quer mais falar nisso, porque ele não tira a camisa no treino mostrando se está gordo ou não? acaba em dois tempos com essa discussão, claro, se ele estiver em forma como diz...hehehehe!

Anonymous said...

o seu último post " liberdade limitada " é vergonhoso porque parte esta premisa :

" apenas adeptos de certo piloto são fanáticos "

E quer pior abuso de liberdade que usar a chamada liberdade de imprensa para difundir apenas e só posições pessoais ?

E já agora porque não comenta a censura que o seu colega pandini exerce no seu bog ? porque exerceu cnsura sobre posts correctos mas que iam contra a sua visão sdas coisas.

Digam-me uma coisa Alessandra Alves : só existe radicalismo nos outros ? só existe abuso de liberdade por parte de quem tem posição diferente da nossa ? e o que é isso de bons e maus leitores ? bons leitores são aqueles que falam aquilo que vocês gostam ? eu pelo menos falo de automobilismo e sento o rabo em carros de competição.

Onde está o critério para aferir o abuso da liberdade ? e eu não posso dizer o mesmo do jornalista que usa o seu espaço de forma discutivel ?

Sejamos intelectualmente honestos e tenhamos a coragem de não chamar radicais a quem tem outra visão das coisas e já agora tenha a coragem de deixar aqui este post, não vejo nada nele de ofensivo.

O que não aceito é que um site que vive de quem o^visita apelide uns de radicais e outros de bons alunos, isso não existe na diversidade dos dias de hoje, todos temos um pouco de radical e de bom aluno...

mario lago said...

bom dia Alessandra. ao ler o post acima, não pude deixar de imediatamente acessar ao gp para leitura da coluna para conferir o suposto radicalismo exposto. após lê-la, ratifico sobre vc -a quem só conheço pela leitura dos textos e comentários no blog-, minha opinião de coerência, classe e inteligência. e minha sincera admiração. liberdade e respeito. sempre!

Alessandra Alves said...

pedro: sua observação sobre a real motivação do ronaldo, muito mais focada na própria imprensa que no presidente, fez muito sentido para mim. eu até revi as duas falas - do presidente e do jogador - e é nítido: tanto um quanto outro falam diretamente apoiados no que saiu na imprensa. o lula até começa a fala dele assim: "(...) a gente lê na imprensa que o ronaldo está gordo (...)" e o ronaldo, por sua vez, fala "(...) dizem que eu estou gordo, o que não é verdade (...)". de fato, nem o presidente chamou ronaldo de gordo, nem ronaldo chamou lula de bêbado. e a fala do pai do ronaldo realmente foi muito menos repercutida: quer dizer, a imprensa dá todo o destaque para uma suposta "briga" entre os dois, mas na hora colocar ronaldo e família como eventuas cabos eleitorais de lula, tira do ar!

mas quando a fase é boa, tudo dá certo, né?! porque tudo o que lula não há de querer, por enquanto, é o apoio explícito de ronaldo, o gordo, o estático, o muro do brasil contra a croácia (hahahahaha). pode ser que depois do segundo jogo tudo se modifique, que ronaldo vire o craque da copa, mas por enquanto a leitura mais difundida é: "bem que o lula tinha razão: o ronaldo está gordo mesmo!"

gustavo: sabe o que me chama a atenção, nesse caso do ronaldo? deixa eu explicar tomando um exemplo pessoal. se eu tiver uma corrida para fazer daqui quinze dias e sentir que não estou bem fisicamente, o que faço? disciplino meus treinos, observo melhor a alimentação, cuido das horas de sono, com foco em fazer bem a prova em que me inscrevi. eu consigo fazer isso sendo amadora e contando exclusivamente com a orientação esparsa de um professor da academia que freqüento. caramba! a gente está ouvindo que o ronaldo está fora de forma há vários meses e ele tem médico, preparador físico, nutricionista, tudo à disposição. claro, é um atleta profissional! como o cara chega com pneuzinho na copa do mundo? como o cara está fora de forma? é evidente que não é um questão de falta de condições de fazer o que euzinha, com meus 36 anos, consigo fazer praticamente sozinha (e não sou a única. todos os meus companheiros de pista relatam procedimentos semelhantes. basta querer, programar-se e se dedicar e a gente consegue). me parece nítido que o ronaldo é absolutamente suscetível à sua condição psicológica. ele não suporta bem a pressão e taí uma coisa que a mídia sabe fazer tão bem, né?

anônimo: apresente-se e terei prazer em debater também com você.

mario: muito obrigada, amigo. e me permito usar a palavra amigo porque embora não nos conheçamos para além da blogosfera, tenho grande satisfação em refletir e debater com companheiros como você, pois eventualmente temos posições antagônicas, mas isso não nos impede de manter um exercício permanente de diálogo. valeu!

Gustavo Migliavacca said...

É verdade Alessandra, também pratico esporte a nível amador (ciclismo) e sempre procuro otimizar meu desempenho através de pequenas atitudes que façam a diferença no final; mas como o fazemos mais por prazer - nosso sustento não depende disso - a carga de pressão psicológica não existe para nós. Trata-se de pura diversão e busca de melhores desempenhos, mas e para atletas a esse nível? Bom, já que eles abraçaram a profissão que ao menos se dediquem não? Pior são os profissionais que gravitam em torno do Ronaldo que parece que não percebem - ou não querem ver - o ocaso de um grande jogador.

Pedro Alexandre Sanches said...

pois é, Alessandra, é deplorável esse papel de alcoviteira que se esconde atrás da cortina, em que a imprensa se embrenha com freqüência alarmante. todo mundo atribui tudo aos personagens, a alcoviteira (ou, acho que seria melhor dizer, o alcoviteiro, porque poucas coisas são tão "masculinistas" quanto a imprensa no brasil - não sei se no mundo todo -, né?).

a mais nova é a do "estresse" do Ronaldo, e eu já fico com vontade de vomitar de ler a condenação geral dele pela nação (midiática), inclusive com grosserias do tipo "está de fricote". quero lembrar que não são nada desprezíveis as correntes da medicina e da psiquiatria que não reconhecem o "estresse" como uma "doença" que exista de fato - não, "estresse" é como a gente chama nossas DEPRESSÕES, quando não queremos assumi-las. essa onda de desrespeito e insensibilidade frente ao fato de que o jogador antes bajulado como "fenômeno" agora está DEPRIMIDO talvez seja o que, no duro no duro, aumenta e agrava a depressão dele - e cada um de nós que desrespeita isso está desrespeitando, também, suas próprias baixas e depressões (quem aí não tem?). aí dá-lhe grosseria preconceituosa, porque um é "gordo" e "lento", o outro "bebe demais", onde é que isso vai parar? será que a mídia alcoviteira está "torcendo" por um cadáver, pra depois poder exercer toda melíflua sua sina de carpideira? deus me livre, viu?

(Mario Lago! me comovi com sua penúltima mensagem, linda, leve e bem-humorada - quando crescer, quero fazer aprender também!)

mario lago said...

- pedro alexandre, obrigado pelos elogios. é sempre bom recebê-los, não é mesmo?
- alessandra alves, este sentimental aqui se envaidece, e muito, por poder desfrutar de sentimento tão nobre quanto a amizade, vindo de alguém tão especial. muito obrigado!
- ah! e sobre o telê, já me esquecia, pintou no jornal da tarde de hoje uma critica direta ao trabalho do mestre (a quem atribui incoerência e responsabilidade pela derrota em 82) e também à fleuma sobre sua aura (que alega criada pela imprensa), vinda de dunga, nosso bravo e competente capitão nas copas de 94/98. o tema é, realmente, polêmico.
- valeu!!!!!!!!!!!!