Monday, July 21, 2008

Fora do script

Saiu tudo ao contrário do que Lewis Hamilton tinha planejado. Mesmo assim, deu certo. E mais ao contrário ainda, e melhor impossível, para Nelsinho Piquet. E Massa, hein? Lá no GPTotal, a análise do GP da Alemanha. Vai lá, vai.

7 comments:

Gustavo M. said...

Bela coluna, como sempre, mas vamos combinar né? O Massa tomar aquela passada do Hamilton não combina nada com um postulante ao título em plena defesa de posição, Piquet ainda vá lá, pois ele se ele errasse a Renault e a McLaren iriam juntas o carregar para a fogueira, mas o Massa ao menos poderia ser um pouco menos ingênuo e valorizar a disputa de posição sem necessariamente assumir riscos muito grandes, na verdade, ele enfrentou perigo muito maior quando tentou retomar a posição de um modo impossível depois...ficou com cara de tacho, o inocente que abre para o adversário primeiro, e o porra-louca que tenta consertar de modo impossível depois. Claro que a McLaren do HAMILTON estava imparável, e a favor do brasileiro, a estupenda segunda colocação na classificação e a performance ruinzinha do Raikkonen...ou seja, mesmo que o resultado fosse o mesmo (e seria sem dúvida), dava para o Massa mostrar um pouco mais de "fome" no final, seria um alento para a equipe na escolha do primeiro piloto.

Cynthia said...

Muito bem escolhida a foto de Hamilton olhando com cara de UÉ para Nelsinho.

Smirkoff said...

Muito bom Alessandra, mas acho que a noção de "pista favorável" a esta ou aquela equipes, em que em geral baseia-se nos resultados do ano anterior, não funciona tão bem assim. A corrida de domingo demonstrou claramente que a evolução (ou não) das equipes ao longo das temporadas detona as previsões sobre qualquer pista. Não ficaria admirado se a Ferrari andasse bem na Hungria (no sábado em Mônaco, neste ano, já foi uma surpresa). Valência e Cingapura são completas incógnitas, especialmente a segunda, sem luz do sol para aquecer o asfalto.

Anonymous said...

Até algumas corridas atrás a Ferrari tinha um carro superior ,é cedo para afirmar que as forças vão ficar estaticas até o final do ano,a evolução na F1 é assustadora ,tudo pode mudar daqui duas corridas.

Acho que o maior problema da Ferrari é a disputa interna entre seus pilotos ,isso pode custar muito caro no fim do ano, e o pior é que não gostaria de estar na pele do chefe se por ventura esta decisão tivesse que ser tomada agora .

Enquanto isso Hamilton pode aproveitar totalmente o melhor momento da Mclaren ,sem dividir pontos com ninguém na equipe ,ficou claro nesta corrida quem é o primeiro piloto ,para mim o unico que poderia derrotar Hamilton na Alemanha era seu companheiro se tivesse segurado o inglês por algumas voltas ,ponto para a Mclaren.

Sobre Nelsinho ,foi muito positivo seu segundo lugar ,foi implacavel e veloz quando a chance apareceu na sua frente ,agora espera-se uma evolução logica do piloto .

Agora ,será que a BMW já pode ser descartada?

Jonny'O

Ron Groo said...

Sorte, azar, problemas mecânicos... Bem isto faz parte de corrida de automovel tanto quanto pneus, gasolina... Não é?
Ah! eu sei que o Lewis já conhece o Nelson Angêlo (nome de cantor de bolero, ou mambo: Mambo, mambo!)mas a cara do Hamilton ao olhar para o pequeno Piquet é de: Mas que cê ta fazendo aqui?
Bela coluna, Srª Velocidade.

Celinho Boy said...

Pior que peguei a corrida pouco depois da metade. E fiquei tri surpreso ao ver o Nélson Ângelo entre os 3 primeiros. Xarope mesmo foi ver o Hamilton passar os dois. E muito pior ainda foi ver o Massa sendo mais uma vez sendo ultrapassado.
No final das contas, foi bom ver dois brasileiros num pódium depois de 17 anos (Senna em primeiro e Piquet em terceiro. No meio dos dois, o escudeiro Gerrrard Berger). Mas pra mim, dos três, o mais vitorioso foi o Nelsinho, vencendo na mesma pista onde o pai dele começou. E isto já faz 30 anos. A Renault é bem inferior se compararmos com a Ferrari, a McLaren e até pra BMW, mas deve ter sido daqueles lances de sorte que caem do céu. Ele está de parabéns pelo arrojo. Espero que não seja apenas lance de sorte de ocasião. E bem feito pro Alonso. Acho que ele pegou "Jacquecite aguda"*
Alguém comentou dia desses que o maior crítico dos novos pilotos brasileiros estava silencioso. Será que Nélson Piquet pai vai dizer alguma coisa ou já falou?
Quanto a Ferrari, precisa um pouco mais de sorte e competência. Não acredito numa linha crescente da McLaren. Não podemos esquecer de São Pedro. Ela já decidiu no ano passado.
Ainda na F-1, o seu Mosley vai ganhar uns bons trocados com aquela orgia. soubeste que ele vai ganhar uma indenização do jornal que publicou aquele vídeo?
* O Jacque Vilenevue manteve a arrogância de campeão mundial numa equipe menor.
Abraços e beijos

Corine said...

Good for people to know.