Saturday, July 07, 2007

Paixão e dúvida

.
Amigos, estou apaixonada. Já nem tento resistir a ele, desta vez sinto que me rendi incondicionalmente. Fico encantada com seu sorriso, tentando adivinhar quais serão seus próximos atos, enamorada de tudo o que ele faz. Como todo ser apaixonado, tenho certeza de que meu amado é perfeito, não faz nada errado, é um semi-deus, ou um deus por inteiro. Minha boca fica seca, minhas mãos ficam úmidas ao prenúncio de sua chegada.

Nem ligo por dividir seu amor com os outros. E os outros formam uma legião de milhares de fãs em todo o mundo. Não me importo nem mesmo de ele não saber da minha existência.

Diga, você também, se não está entregue a Lewis Hamilton.

De março até hoje, o piloto inglês já foi chamado de quase tudo: robô, fabricado, sortudo, perfeito, perfeito, perfeito. A Fórmula 1 não perdoa os erros e ele, até agora, simplesmente não errou nos momentos cruciais. Abro bem os olhos quando ele aparece, sedenta de guardar nas retinas outra cena que há de entrar para a história.

Hamilton tem outra virtude inequívoca: começou a correr no ano seguinte à aposentadoria de Michael Schumacher.

Estou apaixonada por Hamilton, mas sou uma mulher madura. E entre retinas encantadas e mãos molhadas, minha mente fervilha com uma dúvida.

Se passamos vários anos ouvindo que "se Senna não tivesse morrido, Schumacher não seria tão vitorioso", a lógica vale para o presente momento? Sempre achei essa inadagação uma chatice inominável, mas será que alguém, em algum rincão da Alemanha, não está se fazendo essa pergunta? Se Schumacher não tivesse parado, este campeonato estaria tão equilibrado e Hamilton estaria brilhando tanto?

8 comments:

Ron Groo said...

OI Alessandra, realmente o Hamilton é um espetaculo. Quem como eu gosta do esporte por si e não por patriotismo (se não houvesse um só brasileiro na f1eu ainda amaria este vicio louco de acelerar e fazer curvas, nas palavras de Ernesto Rodrigues)Não acho que Lewis seja fabricado, muito pelo contrário é fruto de treino e categorias de base. Ele não é perfeito e um dia vai errar, por enquanto é sim um semi-deus.
Tem um alemão amigo meu, lá de Duisburg que disse mais ou menos com estas palavras... "Ainda bem que Shumacher parou. Se já era ruim perder para Alonso, ser humilhado por este garoto seria terrivel..." Acho que eles tem mais 'se mancol' que alguns brasileiros que não admitem ter outro bom piloto no mundo. Como não querem admitir que Maradona também é craque...mas deixa pra lá. Dias atrás escrevi uma cronicazinha sobre Lewis ganhando a corrida dos EUA enquanto punha no cd player de seu Mclaren um disquinho dos J Geils Band tocando "Centerfold", lembra? aquela do refrão "My blod runs cold..." Acho que saiu na seção de cartas do GPTotal...
E isto é o que penso dele. Muito, muito sangue frio...
Abraços

Alexandre said...

Na minha opinião não mudaria nada.

M. Schumacher afinou para o Mika e para o Alonso, afinaria para o Lewis também.

Garcia said...

Olha.... a resposta sinceramente não importa... a pergunta foi sensacional!!!

Valeria said...

Não acho que mudaria muita coisa, talvez apenas o nome de um dos pilotos da Ferrari.
Na verdade a história do Hamilton lembra a do Shummacher, um piloto estreante que logo se destacou. Claro que com um pouco mais de brilho que o Shummi, uma vez que ele não estreou de cara numa equipe de ponta, com carro em condições de disputar a liderança do campeonato. Entretanto, em seu primeiro ano de F1 Shummacher tb conseguiu ótimos resultados.

Vicaria said...

Mama, tem um post novinho em folha na Laje esperando sua visita!

valéria mello said...

Também estou encantada com o Hamilton, me cortou o coração ve-lo com aquele sorriso amarelo recebendo o troféu de terceiro colocado hoje na corrida.

E acho que a disputa estaria acirrada mesmo com o Schumacher no páreo. Seriam dois moleques atrevidos atormentando a vida dele.

Anonymous said...

Gosado,durante todo ano nunca passou pela minha cabeça esta questão,acho que a parada de Schumacher foi no momento certo ,se parou é porque a motivação se foi e consequentemente entraria em declinio.
Schumacher sempre passou a todos que dava 110% de si para a F1,uma dedicação jamais vista antes,o primeiro a chegar e o ultimo a sair,e agora tudo virou passado ,historia,e muitos ,muitos numeros para as estatisticas.
Agora ,este campeonato continua aberto,e acredito que vai ser espetacular até o final,tá muito equilibrado ,vai ser decidido nos detalhes e vai depender muito do desenvolvimento de Ferrari e Mclaren durante a temporada e com a evolução dos carros pode sim ser melhor para um ou outro piloto de um time ,aquele milésimo que um ganhou por ficar mais a vontade com as ultimas novidades,vai ser no fio da navalha.
Mas voltemos a sua pergunta.
Ah ,se o Jim Clark não tivesse morrido!

Jonny'O

Marcog "unoturbo" Oliveira said...

Ainda falta uma grande ultrapassagem. Se fosse em cima de Schumacher, ou vice-versa, seria a coroação.