Wednesday, July 12, 2006

O estrangeiro

Já está no ar mais uma coluna minha no GPTotal. O título faz referência à obra de Albert Camus, mas o tema é o piloto colombiano Juan Pablo Montoya. O que um tem a ver com o outro? Vai lá e confere!

20 comments:

Cristiano Pontes Dias said...

Confesso que gostei em parte do teu comentario, meio poetico para quem é Fa do Montoya, achei uma tremenda Putaria o que fizeram com ele, ate pq nem JESUS CRISTO salvaria essa equipe Decadente de fundo de quintal, que devia mais competir em algum Campeonato de TUNING pra Bonito.
Eu acho que ele nao foi bem, mas se ver o cenario da Formula 1 da ate desanimo, Alonso é um Otimo piloto, mas passeia de RENAULT, e o que falar dos Brasileiros? me envergonha ver a mediocridade, preferia ver um correndo de SUPER AGURI do que andar na passarela da FAMA de FERRARI e nao ter aquele algo mais que outros pilotos como SENNA E PIQUET marcaram epoca.
MONTOYA era algo diferente que e quem curte velocidade gosta, chega de bundoes na Formula 1 e que busque emoçao na NASCAR, se bem que tinha equipes na F1 que queriam ele , como o tio FRANK.
Ja pro BRASIL só o filho do PIQUET pode vir a salvar o nome do BRASIL futuramente.
e me vou despedindo "sou mais montoya"

kowalski said...

Nunca fui fã dele. Mas acho que a F1 tá ficando muito intolerante com erros de pilotos. Essa exigência de profissionalismo ao extremo é mais um dos fatores que levam a categoria para o grupo dos esportes entediantes. Fico imaginando que caras como James Hunt (que bebia e fumava na frente das câmeras) e Gilles Villeneuve que fazia loucuras nas pistas mas também errava muito( e sua origem é do automobilismo norte americano) não teriam vaga na F1 atual. Olha que coisa absurda.

Ricardo Santos said...

Na verdade se trata de um texto cheio de Cliches... lembrando de Michel Andretti e Zanardi, mas desconsiderando Mario Pai e J. Villeneuve "SO" pelo titulo... SO PELO TITULO QUA QUA QUA...

Nao sei se voce acompanhava F1 naquela epoca mas J. Villeneuve foi pole na primeira corrida e campeao no segundo ano... o que veio depois a sua carreira esta muito mais ligado ao fracasso da BAR que seu passado nos USA...

Voce pode considerar Montoya um fracasso, mas tirando Villa, Alonso e obviamente Schumacher os demais pilotos da F1 nao tem uma estatistica muito melhor... DC tem 12 vitorias em mais de 13 anos, Barichelo 9 em mais de 13, Ralf 6 em 10, Fisichela 3, Trulli 1, Button 0... Kimi tem 9 e Montoya tem 7, Montoya tem 402 pontos Kimi 420... enfim seria Montoya um modelo de fracasso...
Se for imagina RUBETA e RALF que estao muito bem empregados !!!

Na verdade o problema EH MUITO MUITO OUTRO... Gilles ganhou so 6 corridas, quase sempre andou de Ferrari competitiva, bateu muitas e muitas vezes e nunca foi campeao... Nem por isto eh um idolo da Ferrari maior ate que o heptacampeao Schumacher....

Mansell o "leao" demorou 6 anos pra vencer sua primeira corrida correndo sempre de Lotus ou Willians, batia muita e cometia as maiores gafes... eh um grande idolo ingles da categoria... indiscutivel...

O problema eh que a F1 nao comporta mais este tipo de piloto bravo, ousado, destemido e ate por isto tudo mais erratico e que apronta mais. Hoje as fabricas nao querem pilotos, querem motoristas RAPIDOS que facam tudo certinho, passem pelos boxes e tenham personalidade apagada, falem o que eles querem conforme o seja conviniente... pois podem ser suibstituidos a qualquer momento, pois o importante eh promover o produto, a Marca, seja ela Renault, BMW ou Mercedes...

Como resultado disto tudo ( e mais de um regulamento fraco) as corridas se tornam procisoes as 250km, a F1 nao renova o seu publico ( grande parte do publico que acompanha F1 a serio eh acima dos 25...)

Voce pode achar a NASCAR um circo de horrores... mas POR ACASO voce ja se deu om trabalho de ver uma prova da categoria em Taladega ou Daytona ??? posso te garantir que eh "tenso" do comeco ao fim...

Portanto so tenho a discordar com suas declaracoes que sao acima de tudo preconceituosas com os americanos, latinos em geral...

Cristiano Pontes Dias said...

Eu nao quis tocar nesse Ponto de declaraçoes preconceituosas, mas depois de ler outros colunas suas e ver que tem mais gente que segui a minha linha de raciocinio eu notei que tem tendencias preconceituosas ou no minimo de má vontade.
Claro é muito mais facil torcer pra pra um alemao da vida, que alem de fazer pouca coisa tem ajuda de tudo e de todos.
Outra coisa que conversei com um Jornalista que mantem as mesmas tendencias é o tipo do cara que só fala o que o povo quer ouvir.

Enfim concordo com o Ricardo.

Rômulo Jr said...

acho que vc esta errada
montoya não é genio como Senna .. mais tem muito mais talento ke muitos na f1 atual.. acho ke foi uma atitude corajosa de encarar o desafio de nascar .. afinal , a f1 de hj em dia nao tem mais a msm graça .. montoya é um kra de coragem .. formula de merda .. viva montoya e o seu estilo ..

Alessandra Alves said...

cristiano: em que pese a mclaren não atravessar uma boa fase, não a considero um time decadente. um carro nascido ruim, pelo que mostra a história, raramente se salva, mas isso não quer dizer que a mclaren esteja no fundo do poço. é uma equipe dotada de duas características essenciais para o sucesso na fórmula 1: experiência e recursos financeiros. acredito no soerguimento do time em 2007 (alonso também deve acreditar...).

concordo que montoya surgiu como algo diferente na fórmula 1. aliás, escrevi isso nessa coluna comentada, não sei se você se lembra desse trecho. torci sinceramente para que ele fosse um adversário de fato para schumacher. acontece que ele não foi, mesmo tendo corrido apenas em equipes grandes.

kowalski: a fórmula 1 é realmente implacável com quem erra, concordo. mas será que esses dois nomes que você citou - hunt e gilles - não teriam eles mesmos uma postura diferente nos dias de hoje? não há como negar que são dois grandes pilotos (um campeão mundial e o outro só não foi porque o destino não quis). será que eles não se permitiam errar, corrigir trajetórias e dar seus espetáculos porque a fórmula 1 daquela época permitia isso? ah, é sempre uma pena constatar que o "se" não joga nem acelera... eu acompanho e gosto muito da motogp, também, e me encanto com o desempenho do rossi, que parece ter um controle absoluto da técnica, sem abrir mão do espetáculo. eu gostaria de ter um paralelo do rossi na fórmula 1, mas como ter espetáculo em uma categoria que praticamente não permite ultrapassagens? concordo que algo tem de mudar em busca de maior competitividade, mas questiono se junto com essas medidas de espetacularização da fórmula 1 não viriam malefícios à categoria, como a questão da segurança dos pilotos. é muito complexo isso, mas acho que se a gente perguntar para o ralf schumacher se ele preferia mais espetáculo ou mais segurança nas pistas, ele vai nos mostrar o vídeo de seu acidente em indianápolis, 2004, e vai dizer: dane-se o espetáculo, quero continuar vivo!

ricardo: você fala em clichês, porque citei zanardi e michael andretti. OK. você rebate com mario andretti e jacques villeneuve, que eu citei. cito mais um: phil hill. vamos: quem mais, vindo da américa do norte, foi bem sucedido na fórmula 1? convenhamos, num universo de cerca de 700 pilotos, a verdade é que pilotos forjados nas pistas norte-americanas raramente obtiveram sucesso na fórmula 1. podemos até discutir as razões disso e não descarto nem mesmo que bons pilotos advindos da américa tenham sido boicotados em seus intentos na fórmula 1. mas contra números não há argumentos e montoya pareceu apenas seguir essa sina.

você clama por ousadia e destemor na fórmula 1, dizendo que a categoria, atualmente, só aceita pilotos sem personalidade. eu tenho uma outa visão: chamo isso de eficiência. como escrevi acima, errar na fórmula 1 tem um preço alto. talvez por isso, fiquem apenas os que erram pouco ou quase nada.

quanto a achar a nascar um circo de horrores, acho mesmo. não vejo atrativo em uma categoria que limita as condições técnicas das equipes em um esforço de nivelar a competição. como já se escreveu certa vez, se quiser ver quarenta carros iguais, não vou ao autódromo, mas ao pátio de uma concessionária.

quanto a ser preconceituosa contra latinos, gostaria que você explicasse com mais detalhes o que levou a essa conclusão. sou tão latinófila que torci para todos os times do nosso continente na copa (nesta última e em todas as outras que acompanhei), inclusive para a argentina (você torceu também ou, como boa parte da torcida brasileira, acha que os argentinos são um povo detestável?). desculpe, mas não tenho esse tipo de preconceito.

cristiano (again): por favor, faça o mesmo que pedi ao ricardo. explique onde está meu preconceito e debato com você.

rômulo: tomara mesmo que o montoya seja feliz e vitorioso na nascar (há quem diga por aí que ele só voltou para os eua, e para uma categoria de turismo, para não ter de fazer regime. maldade?). mas realmente não consigo achar que se trata de uma categoria top.

flora e clara said...

se para você o Montoya (que estava no quinto lugar na tabela de posições desta temporada....) é um fracaso...... os demais pilotos que são?? Lixo??

Cristiano Pontes Dias said...

Que bom tocar no time da Argentina pois tambem torci por ela apesar de ser Brasileiro(mas acho que foi a que melhor jogou) e tenho as camisas da seleçao Argentina.
Sobre "carros" acho dificil alguem nao querer emoçao num carro que chega proximo dos 300 km por hora,quem nao gosta disso seguindo sua linha de raciocinio da concessionaria que brinque de autorama.Mas o que mais me encomoda nao é dizer que o Montoya faz cagada, quem é fa dele sabe que o estilo dele é assim e esta sujeito ao erro, mas a falta de imparcialidade de quem escreve sobre automobilismo.
PIQUET nao era amado, fazia das suas e ai?Automobilismo nao é concurso de simpatia, alias "pobre Connie Tao simpatica" foi isso que escreveu nao é mesmo ?!
Chega de REGINALDO LEMES da vida que sabem qtas vezes cada um ganhou, qtas vezes cada um fez volta mais rapida, Mas sera que sabe qtas vezes a MCLAREN esqueceu de pregar o espelho ?
Ou sera que ela sabe fazer alguem comentario decente ?? Ja que parou no tempo e só fala besteira, talvez seja o preço de trabalhar em veiculo de comunicaçao grande, as pessoas perdem sua opiniao propria.
Sobre achar que fez comentario preconceituoso continuo achando, mas só comentei pq assim como eu outros tambem acharam, logo seus leitores deve ser meio burros ou esta passando a mensagem errada.
Sugiro que em outras colunas seja mais direta.
Quem sabe depois da Corrida da França nao escreva outra do tipo: A FORMULA 1 se LIVROU DE UM LOUCO E ANTIPATICO.
Chega de ultrapassagens imprevisiveis, queremos ultrapassagens com segurança e de preferencia com sinal.
Quem sabe voltamos a Infancia e vamos todos Montar nossos antigos e amaveis AUTORAMAS,PUTSSS eu tinha um do PIQUET ja nao deve ser considerado amavel, imagina entao se fizeram do MONTOYA, ja que ele fugiu pra NASCAR nao é mesmo.

Alessandra Alves said...

ju: não considero lixo nenhum piloto da fórmula 1. tenho respeito por todos que chegaram lá. mas um piloto que disputa seis temporadas, todas em equipes de ponta, e sai da categoria como montoya está saindo não pode ser considerado por mim um piloto bem sucedido. pelo menos, não na fórmula 1.

cristiano: você me pede para ser "direta" mas sua linha de raciocínio é, ela mesma, um tanto tortuosa. pelo que consigo apreender, você admira nelson piquet e traça um paralelo entre o tricampeão e montoya, dizendo que o "encomoda" o fato de ressaltarem as falhas do colombiano. pois bem, a mim incomodam radicalismos, preconceitos e interpretações parciais.

radicalismos do tipo "só senna (ou piquet, ou schumacher, ou emanuelle pirro) era bom, o resto é tudo braço duro".

preconceito do tipo "ele é bom porque é brasileiro, ele é ruim porque é estadunidense, este é bom porque fala o que quer, este é ruim porque é vaquinha de presépio."

interpretações parciais do tipo "se você enaltece as qualidade de schumacher, então necessariamente odeia o piquet, ou o villeneuve, ou o montoya".

até entendo esse tipo de colocação, das três vertentes, vindas de torcedores, que não têm compromisso em ser equilibrados, em conhecer a história da competição (por vivência ou por acesso a informações), que são naturalmente apaixonados e, convenhamos, a paixão turva a razão.

custo a entender por que razão você se pôs a criticar o reginaldo leme aqui no meu blog. pelo que entendi, você o ataca por informar os telespectadores com estatísticas e por não falar algo que você considera que seja "a verdade".

bem, não sou advogada, portanto não me julgo na condição de defender o reginaldo aqui, mas a postura dele me parece a do comunicador que tem a função de informar e acrescentar dados àquilo que não surge na tela. e não me parece que seja ético nem lógico que ele se ponha a atacar este ou aquele só para "ter opinião própria".

sobre a ser mais direta, devolvo a sugestão a você, para que seus próximos comentários sejam menos tortuosos na linha de raciocínio. não vou escrever que a fórmula 1 se livrou de um louco antipático porque não me atenho a esse tipo de preconceito. tenho, por hábito, examinar as questões sob diversos ângulos, justamente para evitar o tom reducionista das análises apaixonadas que permeiam as colocações dos torcedores.

Cristiano Pontes Dias said...

OK,eu acho que cada um deve assumir o seu papel, sou um torcedor apaixonado, alias como muitos que leram seus comentarios.
Agora que eu julgue a "verdade" isso nao existe.
Agora é de se estranhar pra quem ler pensar assim, Logo volto a dizer que somos burros ou estao passando a mensagem errada.
Peguei Reginaldo Leme de exemplo pq é um cara que vive disso e por ler poucas colunas tuas nao ser "mais cruel" do que to sendo como diz. Alias eu tento ser justo, entao li outros comentarios de pessoas "bem menos preparadas" com criticas e tudo e adorei.
Sera uma implicancia minha contigo?
Bom entao eu devo ter criado uma legiao de implicantes pq nao fogem muito do que penso e sao todos torcedores de Automobilismo,Torcedores de ALONSO,KIMI e loucos como eu que torcem pro MONTOYA...mas ainda assim é uma unanimidade REGINALDO LEME que devia assistir corridas de KART.
Uma curiosidade, tu é amiga pessoal dele ?
Veja o lado positivo da coisa, futuramente tu vai escrever outras colunas e vai lembrar de caras como eu.
"Lá vem esses leitores crueis que deixam a paixao ofuscar a razao"

Prometo imprimir tuas colunas a partir de agora e mostrar pra todos que gostem de velocidade pra eu tirar esse peso da consciencia de ser tao cruel.
Perdoe esse pobre mortal que gosta de Formula 1,talvez nao saiba fazer criticas e talvez tu nao goste de recebe-las....hehehe

erica(não estava a fim de logar) said...

Os meus dois centavos sobre a questão:

Olha, quando o Monty corria nos EUA eu torcia por ele. Gostava do estilão dele. Fui uma das que torceu e até apostou nele como candidato a campeão de F1. Na falta de brasileiros bom de pista pra torcer, o colombiano me parecia uma boa opção. Ele até teve os seus bons momentos que muitos resumem na tal ultrapassagem dele no Schumacher em Interlagos. Teve esse e alguns outros. O problema dele é que foram muito poucos se comparados com os desacertos, destemperos e erros na pista e até fora dela. E é justamente por aí que ele perdeu a razão de ser e de estar ali. Ninguém na F1 é bobo para não querer um piloto com as qualidades do Montoya desde que elas acabem compensando de alguma maneira. E pelo visto, não compensou. E aí acaba enchendo o saco de todos. Até o meu. E quando um piloto começa a culpar Deus e o diabo pelas suas desventuras, até o seu saco está cheio de si mesmo.

Aí, não tem mais jeito.

Alessandra Alves said...

cristiano: fique à vontade para criticar o quanto quiser. se fosse o contrário, eu não teria uma caixa de comentários aberta a qualquer manifestação, concorda? se você tiver interesse em ler os outros posts e seus comentários, verá que seguidamente temos debates de muito bom nível por aqui, justamente porque nem todo mundo concorda com tudo o que se escreve. é assim, penso eu, que a gente enriquece nosso pensamento.

erica: penso exatamente como você, em relação ao montoya. talvez por ter torcido por ele e ter acreditado que ele traria algo de novo no reinado de schumacher, a decepção com suas atitudes tenha sido maior. é como você diz: não dá para continuar defendendo uma pessoa com tanta pisada de bola dele mesmo!

Cristiano Pontes Dias said...

Alessandra:Concordo nesse ponto contigo,e prova disso que vo ler sempre as tuas colunas pra dar minha humilde opiniao e ler as outras pq seguido cometemos erros, mas eu acredito que a "paixao" nao me deixa cego nao, é apenas maneira de encarar de outra forma.

e ate esqueci de escrever uma frase que li em algum lugar
Pelo existencialismo o Inferno sao os outros...hehehe.

PS:AGUARDO A PROXIMA COLUNA.

mario lago said...

eh! eh! o circo da f-1 está pegando fogo por aqui dona alessandra!
- olha! - apesar de também não ter mandato - acho que reginaldo leme, que não conheço pessoalmente, deve ser um sujeito boa praça, bom de papo. profissionalmente, sempre ouvi com interesse seus comentários, tanto os técnicos, quanto os dos bastidores do circo. sua coluna semanal não perco e seu anuário é bem legal de ler na entressafra das corridas. excepto por luciano burti, que tecnicamente acredito ser superior a todos, acho eu que mr. reginaldo - que merece crédito e respeito por sua sólida carreira -, está entre os melhores em seu ofício.
- quanto a montoya, apesar de toda a expectativa criada em torno do duelo com shumy que fraudulentamente anunciou, pela decepção causada não deixará saudade. que rom denis coloque logo o garoto hamilton para ganhar milhagem. não foi assim com räikönenn?
- ps: como foi o farnel sábado, em interlagos?

Alessandra Alves said...

cristiano: anote em sua agenda, então. a próxima coluna deve ir ao ar no próximo dia 26 de julho.

mario: acabei não respondendo ao cristiano, mas já que você tocou no assunto do reginaldo, aproveito. não posso dizer que prive da amizade do reginaldo, pois nosso contato é bastante esparso, mas temos uma excelente relação profissional. eu inclusive estou nos créditos do primeiro anuário que ele editou, no já longínquo ano de 1992. na época, eu trabalhava com o flavio gomes, na folha, e ele me indicou para escrever as categorias coadjuvantes daquela edição.

acho os comentários do burti afiadíssimos. nem sempre vale a máxima "sabe porque esteve lá", porque às vezes o ex-esportista não tem talento para comentar, o que não é o caso do luciano. as transmissões da fórmula 1 na globo ganharam muito com a inclusão dos comentários do burti.

também estou ansiosa para ver a estréia de hamilton nas pistas, mas acho que a mclaren não vai fazer isso este ano. todo mundo sabe que o carro atual da mclaren é problemático e ron dennis não está investindo mundos e fundos na carreira do jovem piloto para jogá-lo numa fogueira dessas, concorda?

sobre o farnel em interlagos, foi muito legal. ainda fico meio perplexa de ver tanta gente se abalando até interlagos para ver um dkw andar em penúltimo (hehehe), mas isso é só o pretexto. é uma comunidade de gente que valoriza e cultua o "velho" (não o flavio, bem entendido!). o velho carro, o velho interlagos, o velho sistema de disputa das corridas, os velhos pilotos. em uma sociedade tão marcada pelo culto ao novo, à modernidade e à juventude eterna, é muito reconfortante ver que há gente que também olha para trás.

mario lago said...

- alessandra, concordo plenamente com seu raciocínio sob o investimento hamilton por ron dennis. não havia raciocinado, até então, sob esta ótica, que não permite ressalvas face o atual pacote tecnico de woking.
- sob o culto ao velho, sabe que navegando pelo grande premio descobri na paixão do fg por sua déka ser possível (e já realizado) meu sonho de descer (subir) a reta dos boxes de interlagos, sem gastar uma fortuna (que não tenho). fiz uma puma gte 76 e afundei o da direita com gosto. pena que o traçado foi impunemente decepado pelos visionários interesses mercadológicos da f1, pois meu sonho fora originado nas curvas 2 e 3, do sargento e do sol. mas mesmo assim, valeu a pena e a puminha está aqui, ansiosa por novas oportunidades de riscar aquele templo sagrado das corridas de carro.
- concluindo, vc sabia que muitos daqueles carros, de velho, na realidade têm apenas a bolha/carenagem? há por ali potentes motores ap 2.0 alimentados por pares de duplas webber 40, e alguns deles giram mais rápido do que formulas clio novos em folha. impressionante né? adoro aquilo!!! valeu!!!!!!

Erica said...

Eu vou discordar de vcs em relação ao Hamilton não estreando na McLaren este ano. Acho que justamente por ela, a Macca, estar capengando que a utilização do Hamilton em algumas provas pra dar uma certa milhagem pro garoto e ainda por cima, tirar um pouco o foco da decepção que o carro foi esse ano, é que o inglesinho estréia. Nada melhor do que ter algo diferente e promissor pra se comentar a respeito. E como ela está uma boa droga mesmo, se for bem, ótimo: novo queridinho à vista. Se não for, ah, mas também naquela banheira, o que o garoto poderia fazer? Talvez nem vingue, mas acho que vai vingar sim.

Quanto ao Burti, acho que ele ainda está começando a "carreira" na transmissão de F1. Portanto, prefiro aguardar e ver como ele se desenvolve pra dar qualquer veredicto. Já o Reginaldo, eu até gostava dele porque sempre o respeitei e também achava o cara uma graça. Gosto não se discute, tá? Mas isso era nos tempos em que ele era um contraponto(leve mas contraponto) ao GB. Hoje, ou melhor há algum tempo, ele sucumbiu e se perdeu no mar da soberba ufanista global. E como o Galvão, também dá lá as suas pisadas na bola, só que como as mancadas e idiotices faladas pelo Sr Bueno sobressaem a tudo e todos, muitas vezes nem se percebe e raramente se comenta. E como o GB, ele tem sim dois pesos e duas medidas pra medir brasileiros e estrangeiros em qualquer grid que comente. Pra mim, isso o descredencia.

Cristiano Pontes Dias said...

Alessandra obrigado pela reposta.
e pra nao dizerem que eu sou do Contra o Burti é um otimo comentarista, gosto muito dos comentarios dele, ele só peca numa coisa,quando se refere a Massa ou Rubinho(deve ser amigo pessoal dos dois) mas no resto é sempre bom ouvir comentarios de alguem que conhece de verdade como funciona a coisa.
Qto a Galvao eu concordo com a Erica é uma maça podre que apodrece o comentario dos outros e pra nao dizer que ele nao fala nada que preste, salva-se algumas noticias que ele conta dos bastidores com a do RON DENNIS e o castigo do Montoya...hahaha RON DENNIS é tao mau, pois eu quero ver quando a MCLAREN vai ser de alguma coisa, sabe quando?NUNCA, NEVER.
Ponham qualquer um no volante, ate qto mais sem experiencia melhor, pode ser que de alguma vontade no Figura em pilotar.
E por falar em INTERLAGOS esse ano nao vai poder ter TRI...hehehehe
PS:estou aqui me revirando tentando imaginar o tema da proxima coluna, sera sobre SCHUMACHER OU ALONSO?as unicas coisas que acontecem na F1

Alessandra Alves said...

erica: bem interessante seu ponto de vista, não tinha pensado sob esse ângulo, mas concordo que faz sentido. só que tem outra questão importante: o hamilton está brigando pelo título na GP2. tá certo que esse título não serve para muita coisa (que o diga bruno junqueira, com seu equivalente da F-3000, em 2000). por isso também, continuo achando que ron dennis vai de de la rosa até o final do ano. perdido por um, perdido por mil.

cristiano: eu costumo dizer que o galvão é um karma coletivo do povo brasileiro. e karma é algo contra o qual a gente não pode lutar. tente se abstrair das bobagens que o locutor fala ou, melhor ainda, transforme toda e qualquer interjeição dele em um quadro de programa cômico. não vai ter muita graça, mas pelo menos você não vai se obrigar a pensar que aquilo é sério!

Anonymous said...

Realmente essa não é a primeira e nem será a ultima coluna da Alessandra ofendendo o Juan Pablo. Com vinte pilotos na F1, porque ela pega tanto no pé do Juan? Não da pra entender. Será que é porque muita gente que gosta de velocidade gosta do estilo dele? Deve ser. Falar mal do DC ou do Trulli concerteza não iria dar aundiência pra esse arremede de jornalista