Sunday, April 04, 2010

Conforme queríamos demonstrar...



Às vésperas do início do Mundial de F1 deste ano, escrevi neste blog meus palpites para a temporada. Sob o conceito Evolução x Revolução, bati na tecla de que o campeonato de 2010 era menos revolucionário em relação ao anterior do que foi o de 2009. Por isso, uma aposta na continuidade era a expectativa mais prudente. A continuidade em relação a 2009 apontava o seguinte cenário: a Red Bull em ascensão, a Mercedes (ex-Brawn) alguns segundos atrás, e McLaren e Ferrari tentando recolocar-se entre os líderes, após um ano desastroso para as duas equipes.

Na época ainda chamei a atenção para um problema crônico da Red Bull em 2009, provavelmente seu maior desafio a ser vencido - a confiabilidade. O GP da Malásia deste domingo confirmou esta tese. Tivemos a Red Bull disparada na frente, a Mercedes de Nico Rosberg segura no papel de primeiro coadjuvante, e McLaren e Ferrari lutando entre si. As duas primeiras provas - Bahrein e Austrália - também reforçam a tese. Em ambas, a Red Bull perdeu para si mesma, enquanto McLaren e Ferrari dividiram os resultados.

Ao final da transmissão, vendo o abraço caloroso entre o chefe da equipe Red Bull, Christian Horner, e o projetista, Adrian Newey, ocorreu-me um pensamento perverso: será que o dono da equipe, o magnata da bebida energética, está mesmo feliz com esta performance? Tenho minhas dúvidas. Senão vejamos.

Após três corridas, a Red Bull viveu a seguinte situação: ou se viu diante do fiasco de seu principal piloto, Sebastian Vettel, abandonando as duas primeiras provas quando liderava, ou acabou ficando quase o tempo todo longe das câmeras, na prova malaia. De tão despregados do pelotão, os Red Bull sumiram. Sumiram mesmo, das lentes da TV. Destaque para valer, muito mais em Hamilton, Button, Alonso, Massa e até Sutil. Dietrich Mastechitz, o dono da Red Bull, teve de contentar-se com a excelente exposição obtida pelo espanhol Jaime Alguersuari, que conquistou seus primeiros pontos na Fórmula 1 pelo time B da Red Bull e também ganhou destaque nas imagens da TV.

É um pensamento perverso, mas sendo a Fórmula 1 hoje uma grande vitrine de marcas, eu não duvidaria de uma reação nesta linha. "E aí, chefe, gostou da nossa dobradinha hoje?", perguntaria Horner ao patrão. Como resposta, um indiferente "Mais ou menos, os meninos poderiam ter aparecido mais na TV."

7 comments:

Paulinho said...

Show Ale! Visão bem diferente do que imaginamos!!!

Ron Groo said...

Faz sentido Alessandra...
É só dar uma olhadinha nas imagens, quando são focalizados, o pessoal da Red Bull que fica no pitwall sempre dá um jeito de dar um gole na bebida energética que tem cor e cheiro de xixi (de boi vermelho?).

Mas que foi bonito ver o moleque vibrando, ah isto foi.

Mauro de Bias said...
This comment has been removed by the author.
Mauro de Bias said...

Acho que mesmo sem a Red Bull ter aparecido o tempo todo na TV, ela ganha pela forma como apareceu.

Uma vez fiz uma seleção de estágio na Red Bull e lá explicaram como é a estratégia de marketing da empresa. Pra eles interessa muito mais o que as pessoas pensam e como veem a Red Bull do que quanto tempo elas passam olhando a marca.

Quando os touros aparecem lá no pódio como vencedores absolutos da categoria máxima do automobilismo mundial, pode ter certeza de que isso vale mais do que todo o tempo de exposição da corrida.

Tenho certeza que o austríaco das latinhas está muito feliz agora. E comemorando com muita vodka e Red Bull :D

Anonymous said...

Ano passado após o GP do Japão você afirmou que gostaria de ver o Vettel ganhar uma corrida em que ele não fosse o pole. Ontem ele largou em 3°e venceu.

Diego Goulart

Celinho Boy said...

Achei muit engraçado aquela hora que você falou sobre o fato du Schumi não é muito criticado inicialmente em respeito aos cabelos brancos, embora ele não tem pois usa Grecin, rsss, bem como o fato dele liderar a categoria master. Sobre a corrida em si, desta vez a Red Bull não deu chances, ao contrário das 2 primeiras etapas. A RBR foi mais regular nos treinos classificatórios, o mesmo não digo pra Ferrari e McLaren, que por conta destas rateadas têm prejudicado uma possível melhor perfomance na corrida. Nesta corrida sobretudo as Ferraris e McLaren se contentaram em fazer uma corrida de recuperação, em especial o Lewis Hamilton. Em tempo, o Massa lidera o mundial e está na frente do duelo contra Alonso.
Não posso esquecer de mencionar também q pela primeira vez em anos os 4 brasileiros completaram a prova. Abrsços Alessandra

PS-Sobre o post anterior, gostaria de dizer que foi um misto. E ainda mais atrevo a dizer q a chuva complicou ainda mais a complicada pista.

geovane belo said...

Alessandra, muito madura a sua visão de esporte e música. Uma escrita concisão e admirável. Quando puder, visita meu blog e comenta, sou um escritorzinho do(dor) Pará.