Sunday, February 08, 2009

Será que ele é?


No post anterior, uma frase safada levantou a bola. Não é de hoje que o mundo da Fórmula 1 faz insinuações sobre a sexualidade do alemão Nico Rosberg. Na verdade, desde seus tempos de GP2, o lindo e loiro filho de Keke Rosberg é alvo de comentários sobre o tema. E, como costuma acontecer em ambientes predominantemente masculinos, a Fórmula 1 incluída, o tom quase sempre é de piada.

Há quase três anos, escrevi esta coluna sobre homossexualidade na Fórmula 1. Tirando a referência de que nunca havíamos tido um negro na categoria - Lewis Hamilton surgiu depois disso - o resto todo se mantém.

A Fórmula 1 é um ambiente machista, sectário, preconceituoso. Fosse um ambiente liberal, talvez já tivéssemos assistido a algumas saídas do armário nesses quase 60 anos de história. Porque - fala sério! - você não acredita que nunca, jamais, em tempo algum houve na Fórmula 1 algum piloto, projetista, chefe de equipe, mecânico gay, acredita?

Vi Nico Rosberg ao vivo nos dois últimos GPs do Brasil. O rapaz é muito bonito, magro e sarado. Na primeira vez que o vi, no lobby do Hotel Transamérica, me chamou a atenção seu modo de andar. Coluna ereta, ombros levemente arqueados para trás, passos rápidos e curtos. Recentemente, um colega definiu o caminhar de Nico como de alguém que "está andando sobre chão quente".



O leitor Claudio Ceregatti me pergunta se acho que Nico é gay. Jamais conversei com o piloto nem mantive contato com qualquer pessoa de seu convívio. Nunca li nenhuma declaração de Nico sobre o tema, por isso qualquer opinião minha a esse respeito seria baseada na observação de seu "jeito". Pesquisando na internet, descubro que Nico tem uma namorada chamada Vivian Sibold, alemã como ele (ou teve, já que a notícia é de 2006).

Ora, há quem tenha "jeito" de gay e não é gay. Por outro lado, há muita gente dentro do armário, que não tem gestos efeminados, e é homossexual. Definir pelo "jeito" é muito simplismo.

O que continua me incomodando nesse tipo de discussão é justamente a falta de espaço que o ambiente da Fórmula 1 - e dos esportes, em geral - oferece ao tema. Como eu disse na coluna, de quase três anos atrás, a gente não se choca ao ver um artista ou um estilista gay assumido, mas ainda se escandaliza quando os estereótipos do esportista (virilidade, coragem) chocam-se com os da homossexualidade.

Se Nico Rosberg é gay, onde estaria o maior problema: na eventual inclinação sexual dele ou na falta de ambiente da Fórmula 1 para se assumir como tal?

21 comments:

Speeder_76 said...

Alessandra, já ouviu falar do Mike Beuttler? um piloto dos anos 70, que corria num March privado, de cor amarela? Nâo sei se era gay, mas sei que ele morreu em São Francisco, em 1988, vítima de AIDS.

E há muito tempo atrás (século passado, eventualmente), lembro-me de uma matéria na revista inglesa F1, em que falava sobre ele e sobre a incredulidade de alguns dos que o conheciam, que ele era gay. Não sei se isto é cem por cento verdadeiro, mas acho que dava uma baita matéria para pesquisar...

Ron Groo said...

Eu pessoalmente não me incomodo nem um pouco.
Opção sexual não vem escrito na certidão de nascimento do individuo. Não temos lá: Gay.
Temos masculino e feminimo, o resto como já esta claro é preferência. Como times de futebol, penso eu.
Agora gostar ou apoiar é outra história. Se é homofobia, preconceito, machismo ou o nome que quiserem dar (ops).
Não se mede o potencial, o talento e o carater de alguém pela cor da pele, crença, opção sexual. Creio nisto firmemente.
Só o que não consigo é deixar de fazer piada. É mais forte.
E acretido também que se um deles, qualquer um que seja resolver se assumir nada vai acontecer além das piadas. Diferentemente do futebol em que seria bem possivel que um monte de imbecis se reunisse para descontar no suposto gay uma eventual derrota de sua agremiação.
Quanto ao Nico, vou continuar fazendo piada até que ele assuma (se realmente o for). Porque se ele realmente for e assumir, bem ai vou aplaudir e dizer: "-Este é macho!"

Anonymous said...

Sabe que estou com vergonha, Alessandra?
Escrevi o comentário de uma vez e mandei, nem sei se reli. Se o fiz, errei.
Lendo agora, soa preconceituoso e mal-educado. Coisa de babaca mesmo.
Nem me reconheço no escrito.
Não interessa mesmo a sexualidade de quem quer que seja, não importa a opção e não interessa a ninguem.
Claudio Ceregatti

Amazin said...

Alessandra, todo mundo fala que o Raymond Mays, engenheiro da ERA e da BRM, era gayzaço.

Carlos

Gisele Raposo said...

Oi Alessandra!
Problema na verdade não deveria haver, mas infelizmente "há". E não está na cabeça do Rosberg ou na falta de ambiente na F1. O mundo é preconceituoso, é aí que está o problema.
Há homossexual feliz com a vida que não se importa com o olhar torto do vizinho, há aqueles se assumem, mas vivem se explicando e também há os que se escondem no armário ou atrás de mulheres maravilhosas.
Se é ou não é, para mim, é indiferente, ele não será melhor ou pior piloto devido a sua escolha. Ele continuará sendo o filho do Keke, aquele que o mundo esperava que fosse como o pai, mas que só oferece aquilo que conhecemos em seu cockpit.

Érico said...

Na boa, homosexualidade é irrelevante para a F1. Se algum dia se tornar tema importante, é porque as coisas vão de pior à pior ainda na pista. Nico pode até ser, outros também, mas não me interessa.

Marcos Antônio Filho said...

O mundo é absurdamente preconceituoso,mas todos fazem pose de liberal. Realmente eu só um dos que mais fazem piada sobre o suposto homosexualismo do Nico,até acredito que ele não seja, embora suas feições parecem femininas, mas não interessa. Isso pra mim é algo que é indiferente. O que importa é o que ele faz quando senta o traseiro no cockpit.Mas tem muita gente que tacha, ou por ser branco,preto,azul,homem,mulher,gay,e na F1 eu não acredito que seja diferente.

Ylan Marcel said...

Ele não é gay. Apenas um menino educado e comedido, rsrs.
www.motorizado.wordpress.com

Anonymous said...

Olha ,as coisas se confundem muito ,seja no humor ou a falta dele .

Não vejo problema se o cara é gay e prefere se manter atrás das cortinas ,sei lá ,talvez por respeito ou qualquer coisa do genero com relação a sua familia,o fato é ,cada um leva como bem lhe convém e com o tempo as coisas se resolvem.Esse negocio de levantar a bandeira não é para qualquer um .

Um dia aparece alguém na F1 e diz:
-Oi pessoas!

E vão descobrir um filão enorme de patrocinadores ,baton ,esmalte ,tinta para cabelos ,depiladores e alguns brinquedos ...há ,o chicote é patente do Mosley!!

Jonny'O

Lu M. said...

Acompanho a carreira do Nico há algum tempo e nunca achei nada afeminado nele. O fato de se vestir bem e parecer extremamente educado sempre associei ao lugar onde ele foi criado e educado. E sobre a beleza fazer oq? Agora todo o homem bonito é potencioalmente gay?!?! Fala sério... rsrsrs
E na boa, mesmo que ele ou qualquer um fosse, não faria a menor diferença...
Adorei a tua pergunta final. Onde estaria o problema no cara gay ou no ambiente da f1?? Acho que tu acertou o ponto da questão.

Sobre a namorada dele: no profile dele no site da Williams ela é citada como namorada e volta e meia ele fala dela nas colunas no site tb. Pelo que sei eles estão juntos há uns 4 anos já... (momento caras... rsrsrs)

bjs

Anselmo Coyote said...

Dizem as mesmas coisas sobre o Airton Senna (que Deus o tenha). Um passarinho sem uma perna canta o mesmo que um com as duas. Só não joga futebol.... heheheh!

Tho said...

O Ayrton sempre teve essa sombra, apesar de todas as namoradas que teve.

Feliz aniversário, Alê!
Como todos já te desejam paz, saúde, etc., te desejo uma boa garrafa de vinho e que você se supere em todas as corridas que participar esse ano.

Beijão!

Aderson said...

Eu acho que o Nico é espada.
Corta dos dois lados, se é que me entendem?

Anonymous said...

Todo mundo fala que o Nico é gay pelo jeitinho afeminado. Eu não acho. Só uma dúvida. Na foto ele é o da direita ou o da esquerda? :)

Aline-NC said...

Nico é bonito. Como sempre, em meios masculinos, "homem bonito é gay", a não ser que saia pegando geral. Seja lá qual for a opção dele, ele não deixa de ser bonito, nem o desempenho dele como piloto tem a ver com isso... (isso é óbvio, mas ainda precisa ser dito).
Se for o caso de "assumir", com certeza, seria o inferno para ele. A não ser que a F1 arranjasse um forma de lucrar com isso, aí dane-se a vida do sujeito, o importante é o marketing e o dindin no bolso.
Você já foi no site dele? Coisa fina.
www.nicorosberg.com

Anonymous said...

Faz parte da causa militante "gay" esse negócio. Parece que todo homossexual tem obrigação moral de sair do armário... É só ver como os militantes homossexuais são intolerantes com o Clodovil, apenas por ele não assumir e defender que a vida sexual dele é problema... Dele!!!

É meio incrível e contraditório, e eu não entendo muito bem o problema.

1 - Se a causa homossexual defende que o homossexualismo é uma opção pessoal, como ela não pode tolerar a opção pessoal de alguém não sair do armário?

2 - Se a causa homossexual defende que o homossexualismo é uma coisa natural, e temos que viver de acordo com essa natureza, o que haveria de errado num cabra naturalmente macho defender que homossexualidade é uma coisa assim, de viado?

Já ouvi falar que não existe "tolerância sexual", ou "tolerância religiosa". O que existe é tolerância ou não. Faz algum sentido.

Eduardo.

Grünwald said...

Problema nenhum em ser, problema nenhum em assumir, é isso o que eu penso.

Mas que Nico é uma tremenda dúvida, isso é. O já citado site dele, por exemplo, parece mais o de um decorador do que o de um piloto de Fórmula 1.

Mas que o chão onde ele pisa é mais quente que o dos outros, isso é. Falo porque vi pessoalmente.

Emerson Simplicio said...

Pelo amor de Deus se ele for gay mesmo alguém me consiga o telefone dele, hauhuahuahuau.

Anonymous said...

Alessandra por que em sua coluna sobre homossexualidade na Fórmula 1 não citou o nome do Senna?

Márcio Freitas

Darswik I,Multímata Canhoto said...

Tecnicamente sim,existem jovens: Lewis Hamilton e Mark Webber

Joaquin said...

O mundo é absurdamente preconceituoso,mas todos fazem pose de liberal. Realmente eu só um dos que mais fazem piada sobre o suposto homosexualismo do Nico,até acredito que ele não seja, embora suas feições parecem femininas, mas não interessa. Isso pra mim é algo que é indiferente. O que importa é o que ele faz quando senta o traseiro no cockpit.Mas tem muita gente que tacha, ou por ser branco,preto,azul,homem,mulher,gay,e na F1 eu não acredito que seja diferente.